terça-feira, setembro 9

A fé é uma manifestação interna

Esse final de semana fui convidado a assistir uma missa com o bispo a pedido da família da minha namorada. Razoável. A missa, apesar do ótimo sermão resumidissímo, estava indo bem até o ponto em que vieram as palmas para Jesus, para a bíblia e o "Viva Jesus!". Eu acho uma palhaçada.



Bandeirinhas, lacinhos e palmas na missa católica. Dancinhas coreografadas, murmúrios, gritos exaltados e histeria geral nos cultos evangélicos. Tanto faz. A igreja está parecendo cada vez mais com um circo - com várias atrações - e adorar a Deus em espírito e verdade já não está se encaixando mais com o seu verdadeiro significado.

Antigamente eu costumava participar de pelo menos umas "palminhas" na hora de cantar uma música na igreja, mas depois percebi que: se eu posso bater palminhas para qualquer música, o que faz da música religiosa diferente?

A pessoa que aceita a Deus em seu coração - é óbvio - não necessita de se utilizar de nenhuma manifestação externa - principalmente exagerada - para mostrar a todos "o quanto é piedoso". Jesus é claro quanto à discrição religiosa. Vejam o caso dos fariseus: na época de Cristo, os judeus fariseus eram os que alcançavam os maiores postos políticos e religiosos. Cristo criticava duramente os fariseus porque, por fora, eles usavam de indumentários, apetrechos, oravam em praças públicas em pé, em alto volume e pegavam as primeiras cadeiras nas sinagogas, mas por dentro eram podres espiritualmente. Eram o religiosos aparentes, hipócritas e fanáticos.

Hoje eu parei de bater palminhas, sou um dos únicos. Não me envergonho, sou estranho mesmo. Prefiro bater palmas quando eu ouvir "That thing you do - The Wonders" (e acreditem: esta música faz você bater palmas automaticamente). A minha espiritualidade é silenciosa, é transformadora, é a voz que vem de dentro. É onde você encontra a paz e a tranquilidade. É onde você encontra Deus e aceita a verdade e Lhe promete carregar a sua cruz não importando as adversidades.

Quando forem orar, sigam a sugestão de Jesus:

"Quando orares, entra no teu quarto, fecha a porta e ora ao teu Pai em segredo. e teu Pai, que vê num lugar oculto, recompensar-te-á." (Mateus 6)

4 reflexões:

Mr. bassplayer Devaneio disse...

Engraçado.. ia citar justamente o texto bíblico que você apresentou ao final de seu texto para começar o que ia dissertar...

Bom, quando me falam que a pregação ou a música evangélica devem ser "de fogo", ou seja, aquelas bem espalhafatosas(se for assim que se escreve, claro), eu me pergunto: por que?
Jesus não era espalhafatoso, inflamado... ele era calmo, sereno...
Não exitava nunca em falar sobre Deus e suas maravilhas, mas nunca o fazia de forma inflamada ou que remetesse a uma baderna...
Acho, de fato, que devemos ser contidos em nossa demonstração de fé, que ela deve ser feita somente em relaçaõ ao pai, mas que devemos sempre nos dispor a falar sobre ele!!
Cada coisa a seu tempo.. claro!
É importante louvar e orar, mas discordo de todas os seguimentos religiosos que o fazem de forma, eu diria, vexatória a Deus.
Não que o evangélica deva ser triste, mas deve demonstrar sua fé para quem realmente importa, Deus!
Devamos sim exercitar nosso altruísmo, de forma contida, sempre!! Isso sim é o que deve-se fazer, ao invés de orar a Deus de forma que todos observem suas ações!
Bom, não estou muito bem explicativo hoje... mas acho que, em suma, é isso aí que quero dizer! :D

ABraços, e excelente texto LP! :D

Bárbara Ângela. disse...

A paz, irmão!

Não concordo com o "palhaçada". Não acho que achar uma manifestação de fé, seja qual for, uma palhaçada, seja uma atitude cristã.

Somos filhos, somos livres. Você tem todo direito de achar palhaçada, só não concordo, porque acho que Jesus não concordaria e depois de tudo que li de você, sinto-me triste. Mas tudo bem. Espero que você não deixe de amar as pessoas que fazem essas "palhaçadas". rs

E continue escrevendo, se examinando e crescendo em Cristo.
Eu também já achei palhaçada. E também achava que Cristo não gostava. Mais Jesus Cristo me mudou. No fundo, eu achava lindo expressar o amor a Deus e as pessoas, só não tinha coragem de fazer igual.

Bárbara Ângela. disse...

Corrigindo: às pessoas.

L.P. Faustini disse...

Ei Bárbara!

Obrigado pelos comentários. Só porque acho uma palhaçada, não significa que eu não possa amar estas pessoas. Afinal, minha tia, minha vó e minhas primas fazem isso. :) Afinal, só porque tenho um conceito formado sobre certas coisas, não significa que sou uma má pessoa. Não fique triste por mim, eu sou uma pessoa sempre alegre. Mas que acho uma palhaçada, eu acho. Deus sabe se você está alegre ou triste, sem que você precise demonstrar dentro de uma igreja.

A paz!