quarta-feira, julho 1

Namoro entre católicos e evangélicos, cristãos e não-cristãos, pode?

Pessoalmente, eu nunca ouvi essa pergunta ser feita por católicos. Deve ser porque a igreja católica não vê problema nenhum com casamento entre católicos/protestantes ou católicos/não-cristãos (clique aqui). O namoro entre católicos e evangélicos não deveria ser um problema, mas acontece que está se tornando um problemão por má interpretação das palavras contidas na bíblia e por líderes religiosos que acabam por pregar o preconceito.


Quando eu era católico, namorei uma evangélica pentecostal por 2 anos e a frase que mais batia na cabeça dela era a tal de "jugo desigual", repetida várias vezes para ela pelos seus "amigos" de igreja. O versículo se encontra em II Coríntios 6, 14. Ei-lo:

"Não vos prendais ao mesmo jugo com os infiéis. Que união pode haver entre a justiça e a iniqüidade? Ou que comunidade entre a luz e as trevas?"

Primeiramente, vou explicar o que é jugo (não é julgo, da palavra julgamento):

Jugo é um pedaço de madeira que se usa para separar os bois em uma carroça. Se o jugo é desigual (ou em outras palavras, quando colocamos um boi e um jumento no mesmo jugo), os animais podem até andar pra frente, mas inevitavelmente tropeçarão ou farão uma trajetória torta. Para quem não sabe o que é jugo, aqui vai uma imagem (destaque em vermelho):



Enfim, essa palavra - jugo - foi um dos motivos que atrapalharam bastante meu ex-namoro. Implicitamente, eu era considerado o infiel, iníquo (perverso, malvado) e andarilho das trevas. Como toda minha família era católica, então todos estavam condenados ao inferno. Era até engraçado como um grupo inteiro que se considerava cristão gostava de julgar as pessoas. Já dizia Jesus: "Não julgueis, e não sereis julgados" (Mt 7 ,1; Lc 6, 37)

Acho que entre namorados de diferentes ramos do cristianismo, o que mais importa nesse relacionamento, além do amor, é o respeito. Sem respeito, não há relação. É difícil (e eu até aconselho que procurem pares que estão na mesma comunidade), mas amor é uma coisa que não se escolhe.

Na minha opinião, como cristão, temos que ver se o relacionamento está sendo destrutivo, ou seja, fazendo mal para você e a sua fé. Namoro tem que ser bom para os dois e, ao mesmo tempo, construtivo: os dois aprendem com suas diferenças e se completam. No meu caso, o meu namoro com uma evangélica me fez abrir os olhos. Leio mais a bíblia, me sinto mais ligado à Deus e também muito mais crítico com relação à verdadeira função do ser cristão (sim, o meu blog é uma consequência direta do namoro). Porém, ela não fez a parte dela. O amor provavelmente existia, mas o respeito não. E ela, por influência dos colegas ou dos pais, se negava a aprender qualquer coisa comigo. E eis-me aqui, pregando para a comunidade cibernética.

Bom...agora a questão de casamento entre cristãos e não-cristãos (ateus, budistas, etc.) é mais complicada. Eu não tenho nada contra ateus, trato-os com carinho e respeito e não os julgo (e quem sou eu para julgá-los), e também nada contra os que professam outra religião. Como disse no primeiro parágrafo e isso serve também para cá: ter ou não uma relação com não-cristãos é muito mais uma questão de preconceito. O budismo possui ensinamentos maravilhosos e que muito se assemelham aos ensinamento de Jesus. Mesmo filósofos ateus como Nietzsche ou o pessimista Schopenhauer possuíam idéias que merecem ser lemas de uma vida equilibrada*, pregadas anteriormente por Jesus, como a valorização do ser e desapego às coisas materiais.

O risco que eu vejo nessa relação é que cristãos devem se casar apenas uma vez "até que a morte os separe" e tornarem-se "uma só carne". Na relação entre cristão e não-cristão, o segundo pode se divorciar e casar quantas vezes quiser. Contudo, se há amor e respeito, o relacionamento vale a pena. Vejamos o que a bíblia diz sobre o casamento entre cristãos e não-cristãos:

(I Coríntios 7,12)
Aos outros, digo eu, não o Senhor: se um irmão desposou uma mulher pagã (sem a fé) e esta consente em morar com ele, não a repudie. Se uma mulher desposou um marido pagão e este consente em coabitar com ela, não repudie o marido. Porque o marido que não tem a fé é santificado por sua mulher; assim como a mulher que não tem a fé é santificada pelo marido que recebeu a fé."

Seguindo esse versículo, o fato é que muitos cristãos se casaram com não-cristãos (ou pagãos) no início do cristianismo, fato esse que contribuiu muito para a expansão do cristianismo. O próprio Santo Agostinho, um dos pais da igreja primitiva, era filho de um pagão com uma cristã.

Vejam bem: A igreja desaconselha a relação com o iníquo, o perverso, o malvado, o que te carrega para baixo, mas não diz nada sobre fazer panelinha com membros da mesma religião. Segregação religiosa tem nome: fanatismo. E a última coisa que Cristo queria era criar fiéis fanáticos. Cristo jantou com cobradores de impostos, uma das profissões mais odiadas pelo povo na época; conversou com samaritanos, considerados impuros pelos judeus. Façamos como Jesus, amemos uns aos outros, não importando sua profissão, sexo ou religião.

Se você está em dúvida em saber como proceder em sua relação como cristão, sugiro que leia o tópico "Ser cristão não é..." clicando aqui.

A paz à todos!

*eis exemplos:
"Os reis deixaram aqui suas coroas e cetro; os heróis suas armas. Mas os grandes espíritos, cuja glória estava neles e não em coisas externas, levaram com eles sua grandeza."
(Schopenhauer, na Catedral de Westminster)
"Vivemos de forma mais autêntica se pensamos nos simples fato de existir, no milagre da vida. Se focamos em ser, não vamos prender tanto às digressões da vida, isto é, aos objetos materiais, não vamos perder de vista a existência em si."

204 comentários:

1 – 200 de 204   Recentes›   Mais recentes»
Rafael disse...

Olá. Estou passando por um monte complicado em meu relacionamente. O que você escreveu reflete e muito as minhas maiores dificuldades. Porém, tenho fé que tudo isso se resolva, de preferência, ao lado da mulher que amo.
ÓTIMO TEXTO.

L.P. Faustini disse...

Obrigado Rafael,

Que Deus ilumine a sua relação do jeito que Ele pregou através de Jesus Cristo: com muito amor e respeito ao próximo.

A Paz!

.Mÿllow 777 disse...

Olá, adorei seu texto também!Primeiro, sou cristã e sigo somente aos mandamentos de Deus..
A igreja que congrego é conhecida também como Evangélica. E também estou passando por dificuldades entre meu relacionamento, pois meu namorado é "católico". Sim! Isso é 'jugo desigual', porque eu não poderia me casar com ele, porque estaria concordando com coisas que ele acredita e que Deus não aprova (digamos assim), como poderia me casar com ele sabendo que a crença dele envolva acreditar em santos? Isso em toda a Bíblia é um ato que Deus abomina!
Só por uma pessoa acreditar e seguir sabendo que é errado, já é um pecado e então infelizmente (odeio dizer isso)toda a igreja católica estaria pecando.. E pecadores que não se arrependem deles e continuam cometendo não entrarão no paraíso! Por isso, meu amigo não se prenda a uma religião..Pois não exite isso..oque existe é vc seguir somente a Cristo..Apenas pense de tal forma:'Seguirei o que Jesus quiser, e viverei pelas vontades dele, me desviarei do caminho errado'. Não se prenda a algo só porque vc seguiu toda sua vida, mas se desfaça dela porque Deus quer que vc faça isso. E é por isso que estamos aqui, por vontade DEle só Ele sabe o que tem para nós, do mesmo jeito que se seguirmos ele retamente nada vai nos faltar e saberemos que apenas Ele nos ama mais que tudo.. E que é o mais misericordioso e justo.. O mínimo que podemos fazer é o que Ele nos ensinou, que por sinal é o melhor para nós.. A paz do Senhor a todos.

L.P. Faustini disse...

Querida Myllow,

Obrigado pelo seu comentário. Assim como você, seu namorado pode não concordar nas coisas que você acredita. Não me refiro a apenas no contexto da religião. Você prefere hamburger e ele pizza? Vamos tentar entrar em um acordo? Quem está cedendo mais, você ou ele? Namoro é assim: as diferenças tem que ser respeitadas e toleradas. Agora, se a sua intolerância é maior que o amor que sente por ele, o melhor é largá-lo logo, pois quanto mais tempo demorar, mais sofrimento você causará.

A paz! E que Deus ilumine a sua consciência.

.Mÿllow 777 disse...

A questão não é eu ou ele ceder mais, por mim ficaria com ele o resto da minha vida, mas não é isso que impede. Meu amor por ele não é Menor que a minha intolerância e sim meu amor e obediência por Deus é maior. Por isso concerteza iria fazer o que Deus aprovaria nem que isso me fizesse sofreeer e muito. Mas é a vontade de Deus. Assim eu estaria sendo correta e fiél em 'todos' os Seus mandamentos, porque afinal, até mesmo namoro tem que estar sobre aprovação de Deus, porque é de um namoro que vem o casamento, e me casar com uma pessoa que não segue Deus corretamente de acordo com seus mandamentos e a Palavra, eu estaria também indo contra seus mandamentos. Obrigada pela sua palavra L.P. Faustini, e ainda quero saber se concorda comigo!?

L.P. Faustini disse...

Querida Myllow,

Primeiramente, temos que nos revestir de um coração humilde perante Deus. Em Tiago 1,26 está escrito: "Se alguém pensa ser piedoso, mas não refreia a sua língua e engana o seu coração, então é vã a sua religião".
Quanto ao seu namoro:
"Não cai uma folha de uma árvore sem que seja essa a vontade de Deus", não é verdade? Até as provações Deus coloca em sua vida. Tenho certeza que Ele colocou o seu namorado ao seu lado e caberá a você, através de suas orações, decidir se o seu namoro é uma provação ou uma bênção. Eu não posso julgar o seu relacionamento e nem o seu namorado, mas sei muito bem que Deus julga o íntimo das pessoas melhor que qualquer padre ou pastor, portanto, deixemos o julgamento para Ele.

Um abraço,
A paz!

Káty disse...

Nossa... nunca pensei que eu fosse passar por uma situação dessas...estar com problema em meu relacionamento por que eu sou católica, ele evangélico. O que estou aprendendendo com esses meses de namoro é que há muita divisão entre os evangélicos, porque uns são menos preconceituosos. Um casal que eu conheço (ele católico, ela evangélica) se casou com um padre e um pastor na igreja, o que eu achei lindo porque Deus é um só. Deus une, Deus não separa. Que pena que eu descobri que há pessoas que discriminam gente...Só sei que amor a gente não escolhe e Deus coloca em nosso caminho justamente p/ provar isso, pena que muitos continuam teimando em dizer que o Deus deles salva mais do que outras religiões. A paz de Cristo.

Parada disse...

Rapaz... Estou passando por isso agora... Minha namorada é evangelica, e muito mesmo... e eu católico, aceito a religiao dela, e ela a minha, mas ela acha q esta indo contra os ensinamentos de Deus... e o povo da igreja dela, fica batendo muito nesse assunto...
To mal cara, muito mal, pq finalmente achei quem eu amo...a amo de verdade...
abraço OTIMO BLOG...

Anônimo disse...

olá
parabens pelo seu texto,mt bem comentado, adorei o seu ponto de vista,não consigo entender pq as religiões ao invês de unir separam as pessoas e as classificam,conheço uma pessoa que diz que não namoraria uma garota católica,fiquei perplexa ao ouvir tal afirmação, afinal não louvamos e acreditamos no mesmo Deus

Nínive disse...

Olá, muito interessante seu texto e a sua abordagem... Sou católica, desde sempre, de ir a missa todos os domingos sempre, sem faltas.. Meu namorado é evangélico, desde sempre tb... Tenho umas questões que gostaria que fossem abordadas:
-Fiquei sabendo que a Igreja Católica permite o casamento entre cristãos e evangelicos se houver um compromisso de educar os filhos na Igreja Católica... Como lidar com isso?
-Se nenhum dos dois quiser se converter à religiao do outro, é saudavel essa distincao num casamento, sendo que ao se casarem devem ser UM só, uma só carne?
-Será que os filhos não podem acabar prejudicados por não saberem ao certo qual caminho seguir? Claro que o caminho é o mesmo, a Biblia, e é um mesmo Deus, mas a Religiao é um norteador, ajuda a encontrar o caminho correto...

Ou seja, me preocupo porque acredito que a familia deve estar sempre unida, em todos os sentidos. Família que reza unida permanece unida...
Como lidar com isso?

Ps.: adorei o caso do casal que casou na presença de um pastor e um padre, isso demonstra a união por um mesmo Deus e isso é maravilhoso... Sem preconceitos, porque isso não é divino...

Sãozinha fonseca disse...

Aqui em minha casa passamos por uma situação assim.Minha filha era evangélica e namorava com o filho do pastor da igreja,aos olhos dos evangélicos era o namoro perfeito,mas minha filha sofreu muito,pois o rapaz era falso e mentiroso,por ser filho de pastor todos acobertavam suas falhas.Hoje ela conheceu um rapaz católico,um homem de fé e que dá testemunho de vida o tempo todo e minha filha está muito feliz.A felicidade esta em JEsus e quando estamos com Ele não importa o lugar e sim a sinceridade de suas ações.

Anônimo disse...

Olá, parabéns pelo blog! Atitude muito nobre de sua parte, Faustini.

Bem, esse assunto é muito importante a ser abordado. Infelizmente também passo por isso que se estende por anos e não me dá trégua. Na verdade, há pouco tempo intensificamos nosso relacionamento mesmo sabendo que ia sofrer uma nova pausa_ o que acabou ocorrendo. O fato é que, principalmente a doutrina evangélica privilegia mais o rito que a verdadeira essência dos ensinamentos de Jesus Cristo. O amor de Deus é confundido com modos de se vestir, atitudes mecânicas, o "falar bonito", ser de um clube ministerial.. Nossa! Seria certo pessoas que se amam de verdade e que tem Deus no coração serem impedidas de se unirem em Seu Santo nome porque não ficam de vigília debaixo do mesmo teto?! Será a reivindicação do fariseísmo? Acho que o nome DEUS é tão poderoso que as pessoas o temem mesmo quando são levadas a tomarem decisões tão claras e importantes em suas vidas: o óbvio parece estar sempre errado! E por isso ERRAM e se tornam, na maioria das vezes, INFELIZES por pura ignorância. E o resultado: culpa do seu FANATISMO!
"Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse Amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine. E ainda que tivesse o dom da profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse Amor, nada seria." 1 Coríntios 13. Então, será que o amor é privilégio de proselitismo, seitas, religião, credo, igreja alguma e repartido aos fiéis como recompensa por estarem servindo à Deus com esta ou aquela camisa? Seria de nossa escolha sentir amor por A ou B para evitar tomar decisões, evitar sermos testados por Ele? Sabemos que temos o direito de sermos agraciados por Deus pelo dom inclusive da vida, mas tomemos consciência que também temos a obrigação de não julgar coisas do coração de quem se destina compartilhar tal sentimento.
Abraço a todos!

Hugo disse...

Cara, seu texto ficou realmente muito bom: esclarecedor e construtivo.

Minha namorada é católica e eu, protestante. Já estamos juntos acerca de 2 anos. O nosso namoro é ótimo, abençoado por DEUS e é tudo maravilhoso. Mas... sabem porque? Pois nos RESPEITAMOS, pois nos AMAMOS.

Quando se respeita e ama alguém isso significa que você aceita tudo na outra pessoa, suporta e supera tudo, inclusive as suas diferenças de fé.

Entendamos algo: as igrejas, católicas e protestantes são o quê? Resposta: CRISTÃS. É óbvio que ambas tem suas diferenças marcantes, mas atrelemo-nos ao que é bom, ao que nos une, que é o amor EM COMUM que temos em Jesus Cristo, onde ambos cremos, morreu para que fossemos salvo de todo pecado.

Algo bem frisado no texto é o fato de que no namoro (e no casamento também - e isso já responde a pergunta da pessoa acima) deve haver respeito. E digo mais: companheirismo. Vocês, quando casarem, não devem ficar tentando converter o outro cônjuge. Isso é ridículo e amoral, de certa forma. Cada um tem o livre arbítrio de escolher a religião que quiser. É importante que um acompanhe o outro, e não que um puxe mais que o outro. Por exemplo, eu e minha namorada frequentamos nossas igrejas, domingo na minha, domingo na dela, entendem? Nós nos entendemos muito bem.

Quanto à criação dos filhos, decidimos que continuaremos a fazer isso, pois o que vale é a educação moral e social que os pais dão aos seus filhos (para que inclusive não sejam ignorantes religiosos); A educação religiosa também deve ser dada pelos pais, e inclusive dentro de casa. Prendam-se no que os une: a palavra de Deus, a bíblia. Ensina a criança nos caminhos de Deus (que está descrito na bíblia) e ela nunca se desviará dele.

Deve haver diálogo, em tudo, não só no assunto "religião".

Por fim, não sejamos religiosos, presos aos dogmas muitas vezes separatistas, mas sim, cristãos, e amemo-nos como Jesus nos ensinou, e não nos separemos como a ignorância faz separar a muitos que em comum, creem em Jesus Cristo.

Le disse...

Eu infelismente estou passando por algo bem parecido, a quase um mês meu namorado terminou comigo, ele é evangélico e eu católica, ele terminou comigo segundo ele porque nossa comunhão com Deus não estava boa. Tentei conversar e essa foi sempre a resposta dele, recebi um convite do pastor da igreja dele para ir em um retiro logo que haviamos terminado, e por causa de uma, como ele mesmo disse " possível profissão " não pude ir, e isso foi motivo de estrema combrança por parte dele, me questionando e questionando o por que eu não fui e pq não posso cancelar meus compromissos para ir (isso pq nem somos mais namorados), infelismente essa não foi a única vez que neguei convites como esse. Ele sempre me cobrou coisas como pq eu não me sinto a vontade orando e voz alta, pq não posso deixar meus compromissos para ir em retiros com ele, porque não posso deixar de fazer aula para lavar a igreja e coisas do tipo. Fui muitas vezes na igreja que ele frequenta, ele nunca na católica, fui em retiros com ele, ele nem em bailes da 3ªidade quis ir. Sempre sedi muito a ele, disse que não me importaria em casar na igreja evangelica mesmo contra minha família e mesmo assim ele me considera uma pessoa distante de Deus, que eu e ele não temos uma aliança com Deus, não sei como agir eu o amo, mas parece que não sou suficiente para ele aos olhos de Deus.
Adorei seu texto, é incrívrel. Parabéns

Anônimo disse...

Oláaa..
Bom,eu também estou passando por uma situação parecida,tenho 20 anos sou evangélica,e nunca tive um relacionamento que durasse o tempo comum que dura um relacionamento sério,já namorei com um rapaz,filho de um pastor, na verdade esse "namoro" durou 1 mês,no início eu não queria,mas por incentivo de algumas pessoas,acabei aceitando conhecê-lo, me interessei,começamos a namorar,como ja foi citado acima,"nossa,eu como evangélica namorar o filho de um pastor,que benção...",por experiência própria,nem sempre é uma benção,nos dávamos muito bem,mas do nada ele chegou estranho em minha casa,disse que estava confuso,então eu terminei,sempree coloquei na minha cabeça,posso amá-lo,mas prefiro terminar do que saber que ele esta comigo por dó,ou nao sabe se gosta ou nao de mim de verdade,chorei muito,não imaginei que gostava tanto dele,mesmo por quê,eu pensava e todos diziam que ele gostava mais de mim do que eu dele,quando "perdi" descobri o contrário,fiquei péssima,ia para a igreja arrazada...triste,no começo ainda o via,mas depois ele voltou a ir à igreja dele...esse sofrimento durou uns 2 anos,dentre esse período eu soube que ele voltou com a sua ex,fiquei mais decepcionada e sofri mais,agora ele terminou com ela e diz que me ama "2 anos depois",eu o perdôo,mas nao confio mais nele,posso dizer que foi DEUS quem o tirou do meu coração,pra quem gostava tanto,agora nao sentir mais nda,só Deus pode entrar em nosso coração,agora conheci uma pessoa que me conquistou,nos conhecemos e foi algo tão intenso,que parecia que nos conhecíamos há anos,porém ele não é evangélico,eu até disse pra ele que não daria certo por isso,não exatamente por ele NAO SER mas pelo "estilo" de vida,(baladas,festas,bebidas,etc..)e ele por incrível que pareça,em tao o pouco tempo,mostrava que gostava tanto de mim,que dizia que podia mudar,e deixaria de fazer certas coisa spor quem gosta,mas agora,não sei o que houve,talvez por ciumes meu,algumas discussões,ele mudou,não me dá mais tanta atenção,ainda me manda mensagens,mostra carinho e preocupação,não sei como fazer pra saber se ela mudança dele envolve o que mostrava sentir por mim,queria muito um sinal,e estou pedindo a Deus,não sei como agir com ele,não sei se devo ficar um tempo sem ligar,ir atras,ou se pelo contrário,devo me mostrar interessada..=/,mas estou orando a Deus,não vou ser hipócrita,eu gosto dele,apresentei a Deus o meu desejo,mas sei que será feita a vontade dele,se ele quiser conceder o meu desejo,o converterá e fará de nós dois um casal feliz,se não for pra ser,Deus dará o melhor para nós dois,mas ja vi testemunhos de casais assim,tenho amigos que passaram pela mesma situação,moça crente,homem descrente,hj os dois sao um casal abençoado,o amor é um sentimento lindo e forte,se o que ele sente por mim,chegar a ser forte assim,tenho certeza que ele irá renúnciar as coisas mundanas,e claro,2ª vontade de Deus...
Sendo assim,posso dizer,Deus escreve certo por linhas tortas,não temos que julgar as pessoas,crentes não são perfeitos,pelo contrário,estamos sujeitos as mesmas paixões que qualquer outra pessoa de outra religião,Eu creio que Deus consede o desejo do nosso coração,quando esperamos confiando,quando nos "deleitamos" nele.

L.P. Faustini disse...

Querida Anônima,

Como sabe, somos os únicos seres na Terra capazes de amar. A capacidade de amar é um dom divino e transforma as pessoas. Se Deus quisesse que namorássemos apenas pessoas da mesma igreja, Ele teria nos dado essa capacidade. Mas não, somos sujeitos a amar a todos. Não se preocupe em tentar convertê-lo, e não tenha medo em iniciar a relação pensando que ele nunca será convertido, a conversão se dá internamente, é de coração. De nada adianta ele dizer "me converti", pois isso não vale nada. São apenas palavras. No momento que vocês começarem a dar certo, ter respeito e confiança um no outro, pode ter certeza que nesse momento a conversão já está acontecendo.

A paz!

Anônimo disse...

Faustini,

Muito obrigada pela resposta,concordo,palavras são tem validade alguma sem atitude,já as atitudes tme muita validade mesmo sem as palavras...que seja feita a vontade do pai!
Deus abençoe!
;D

Regina disse...

Olha você escreveu muito bem! É bom saber que temos essa qualidade no mundo virtual, eu sou católica e concordo com você na questão dos relacionamentos de cristãos de diferentes denominações, não deve mesmo haver diferenças como se fossemos inimigos.
Parabéns, Texto muito bem escrito!

Érica & Ide disse...

Ola! Passei por tudo isso que vc descreveu, mas, ao contrario de vc, estamos juntos e vamos nos casar no final do ano... Deus é um só e se deixarmos nossa vida ser levada por opinioes alheias nao vamos viver,vamos apenas passar pela vida...

L.P. Faustini disse...

Salve Érika!

Que a paz de Cristo esteja com vocês nessa caminhada. Seu depoimento aqui foi de extrema importância para mostrar a todos que sim, é possível um relacionamento entre pessoas de religiões diferentes.

Muito obrigado por seu comentário.
A paz...

~Makoto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
~Makoto disse...

Poxa, gostei muito do que estreveu Faustini, fez eu ver as coisas bem diferentes, é muito parecido com o que eu penso.
Pena que quem amo não entende que acreditamos no mesmo Deus e que eu não sou um "andarilho das trevas" ou coisa do tipo.
Não podemos escolher a quem amamos, mas eu só peço a Deus que tudo de bom aconteça pra ela e que Ele a faça muito feliz, mesmo que não for ao meu lado.
Aprendi muito com ela, tanto na vida quanto na religião, ao lado dela eu comecei a ficar mais ligado a Deus e comecei a me importar mais com isso.
Queria somente que ela me desse uma satisfação.

Então, muito bom post, parabéns.

L.P. Faustini disse...

Obrigado Makoto,

Que Deus abençoe o seu coração e lhe mostre as verdadeiras virtudes.

L.P. Faustini disse...

Anônimo,

Grato por seu comentário aqui no meu blog. Analisando suas palavras, percebo que sua caminhada à verdadeira fé em Cristo está apenas começando. Digo que nos dias atuais, as religiões pregam muito a forma, e esquecem da essência. Os seus dizeres falam muito sobre você e vejo ainda que atrela-se à forma, mesmo que sutilmente. Esteja atento: você colocou 'religião' e 'ensinamentos de Deus' no mesmo nível. Da sua religião, você pode abrir mão, mas 'dos ensinamentos de Deus' você não deve. Por causa de denominações religiosas, temos separação, preconceitos, segregação. Cristo não criou uma religião. Ao contrário, mandou que nós amássemos o próximo. Por isso, em uma relação, que valorizemos as semelhanças no trato com a palavra, e esqueçamos a religião. Vivamos a essência da palavra de Cristo.

A paz...

Luz disse...

Olá, Faustini!!!!
Tenho 39 anos e estive sozinha a muito tempo. Conheci recentemente um homem de 45 anos, maravilhoso, carinhoso, formidável. No quarto encontro me disse que era evangélico e se havia possibilidade de participar de suas crenças, pois talves poderia gostar e mudar, o que seria muito bom e facilitaria nossa vida. Sou católica a 39 anos, ele evangélico a 15 anos, ex católico (mudou de religião face casamento anterior). Expliquei que minha fé em Deus não seria diferente sob outra forma de olhar, e o importante é que nos cremos e o sentimos um pelo outro é verdadeiro. Ele realmente disse que me ama, mas sente falta de participar de sua Igreja, com mais dedicação, pois com a separação (sua esposa foi embora com outro), ele se afastou ou não pode participar de algumas atividades como antes. Não sei ao certo, pois não se abre comigo nestes assuntos. Enfim, ele me disse que conversaria com o Pastor sobre nós. Deve ter conversado, pois não me ligou mais, respondeu meu email dizendo que precisa de um tempo para pensar em nosso relacionamento e decidir. Rebati o email, concordando com o tempo, mas pedindo que nos encontrassemos para conversar, pois como poderia decidir algo que envolve duas pessoas que se amam, sem ouvir a minha opinão, assim teria mais informações e dados para poder então pensar. Até o presente momento não recebi resposta, estou rezando e esperando, pois o amo, e sei que me ligará. Deus o colocou em minha vida porque muito pedi um homem com suas qualidades, compreensivo, carinhoso e romântico, religioso. Conheço pessoas realmente diferentes em matéria de crenças e religiosidade, que convivem bem, os filhos são criados nas duas religiões e no futuro poderão decidir por uma ou nenhuma. É maravilhoso como pessoas superam suas diferenças, e sei que meu amor e eu podemos superar as nossas. Toda a sua família e minha nos apoiam, evangélicos e católicos, sem preconceito. O que falta neste momento é apenas ele me ligar, para conversarmos.Estou esperando com muita fé. Orem e rezem, por nós, obrigada.

L.P. Faustini disse...

Ei Luz!

Estou torcendo para que tudo dê certo entre vocês, e assim, eu e você juntos, aumentarmos mais um ponto para acabar com esse preconceito que existe - e que não deveria existir - entre evangélicos e católicos e não-cristãos. Quando Jesus disse "chegará um dia em que adoraremos a Deus em espírito e verdade", me pergunto realmente: qual seria maior adoração a Deus quando quebramos esses preconceitos impostos pelo mundo, damos e recebemos amor, praticamos as palavras de Jesus e colocamos Deus sobre todas essas coisas, sabendo que sem Ele, nada seríamos?

A paz!

Anônimo disse...

Bom sou catolica e namoro um evangelico,nao vejo mal nisto,o mundo com tanta coisa pra se preucupar para pessoas com tamanha ignorancia ficar com essas bobeiras, perante a Deus somos irmaos independente de qualquer religiao ou seja somos IGUAIS,e quem alega a nao crer em Santos comete pecado tambem pois Deus é o unico Santo enquanto os outros que é dado o nome de Santo sao os nossos interssesores,que rogam por nós, Católicos nunca estiveram preso ao passado com os erros da igreja católica ,buscamos sempre inovar a santa missa e noossos grupos de renovaçoes carismaticas dispondo a aprender e melhorar nossas comunidades a cada dia, tradiçoes sao seguidas a igreja de todos, IDOLATRIA é um pecado mais a falta de respeito para com a imagens tambem é pecado, se nao crer em coisas feito pelo homem , crer na biblia é bobagem pois queira os evangelicos ou nao é feita pela maos de homens,que Deus deixou assim como as pessoas boas que intercedem por nós,a pior coisa nao é namorar um evangelico mais é ter que aturar a sua tradiçao que catolicos sao as trevas, ninguem alcançara o céu por sua religiao se nao tiver Fé, AQUELES QUE CRE NO SENHOR,VIVERA ETERNAMENTE, isso sim é uma coisa construtiva,meu namorado,namorou a filha do pastor e ele mesmo diz que ela nem a castidade pode manter , enquanto o meu namoro o que mais preservo é isto,me diz : Duas pessoas estao erradas por tentarem se felizes juntas? ou é o Humano que é egoista a tal ponto de impor redias a quem amar?
Se o seu relacionamento tem respeito e te traz felicidade não tem por que Deus se intristecer!
Fiquem com Deus


=*

Anônimo disse...

Oi, Faustini!!!!!
Sou a Luz, não consegui acessar, então entrei como autônomo para te informar qu meu relacionamento chegou ao fim.
Atraves de um email, ele terminou, justificando que se equivocou ao insistir com o namoro, e que não poderia corresponder, assim preferiu ficar com Deus. Vc já observou como as pessoas usam o nome de Deus para justificarem suas falhas, falta de caráter, seus erros e desatinos. No primeiro momento sofri, que dor terrível, que angustia, mas pense, como lutar por um amor que é contra Deus que tenho que brigar? Conclusão,não posso. Um amigo me disse: "Num relacionamento, quando há o preconceito, não existe amor". Realmente não posso imaginar ficar com alguém tão inseguro, tão incapaz de se explicar pessoalmente, olho no olho, de seguir sua vida pela opinião alheia, ou pior de ter mentido e mentido muitas vezes, pois quando se declara apaixonado numa dia e desaparece no outro, fica difícil pensar o contrário. Mas a vida é assim, não importa a idade que temos, aprendemos todos os dias, de forma simples ou complicada, mas a vida sempre nos ensina e nos dá meios de superar tudo. Vou superar essa fase, tenho muitos amigos, uma família maravilhosa e agradeço por ter vcs para desabafar. Agradeço suas palavras Faustini. Obrigada.

L.P. Faustini disse...

Luz,

Uma vez li uma frase em algum livro por aí escrito assim: "A suprema sabedoria da vida consiste em compreender e perdoar". A partir de então percebi que se tudo puder ser compreendido, também pode ser perdoado. Não o julgue por seus atos. Ele pode ter um ótimo coração e realmente ter te querido de verdade e ainda te querer. Não podemos culpá-lo. Culpemos o que fizeram da palavra da Deus. Culpemos as doutrinas humanas, a sabedoria terrena, como fez Paulo em Colossenses 2. Vamos rezar juntos para que você saia dessa sem mágoas e que compreenda, assim como ele, que Deus é muito maior que isso.

A paz...

L.P. Faustini disse...

Anônima,

Obrigado por seu depoimento. Que a paz de Deus esteja com você e em sua relação.

Anônimo disse...

meu preciso muuito da sua ajuda ja que vc entende do assunto ;xxx
me manda um email o mais rapido possivel ;
armandoramires342@hotmail.com

Enila disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Enila disse...

Olá, estive passando por aqui e me interessei pelo tema, já que, faz parte de minha vida também.
Sou evangélica de berço e de uma igreja considerada rigorosa em sua doutrina, doutrina esta que aponta o namoro entre evangélicos e não evangélicos como jugo desigual.
Tenho passado por esta circunstância há algum tempo, e neste deixa o tempo passar, lá se vão 11 meses de namoro.
Meu namorado é católico e ex seminarista, nos conhecemos no seu último ano de seminário, prestes a se tornar padre.
Estamos juntos e sei que o amo, contudo, a questão de pode ou não pode sempre passa em minha mente.
Creio que Deus permitiu, só não sei se Ele aprovou. Desejo estar na vontade de meu Deus, tenho muito medo de pagar preço maos tarde e não deixo de pensar na questão de constituir família, como fica a educação espiritual dos filhos? Por aqui ou por ali? Sei que o Deus é mesmo, mas os agregados não. Evito bater de frente pois sei que não estou preparada o bastante para isso, prefiro orar, mas não sou hipócrita nem comigo e nem com ele, já sabemos que de fatohá uma barreira entre nós que querendo ou não faz diferença.
Sei que amor, respeito é importante, aliás é fundamental, mas é muito complicado conviver com diferenças, querer compartilhar momentos, sentimentos e saber que a pessoa que você escolheu não está presente, ou se está é em carne como um observador crítico. Se que o Espírito Santo é quem faz a obra, não quero julgá-lo como salvo ou ímpio, quero apenas que Jesus quebrante o seu coração e que ele se torne apenas de Deus, somente de Deus.

Enila disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Enila disse...

Por favor, comenta algo sobre o meu texto.
Aguardo retorno. Paz!

Larissa Maia disse...

meu filho, isso nao é o jugo, isso se chama travão ou trave. Jugo é aquela parte 'ondulada' que é presa diretamente nos bois ou cavalos, viu? A trave mantem o jugo e a carrocça ou caleça, unidas. De mais a mais, seu português é abominável. "Eis eu aqui"??? De onde você tirou essa construção? Vá estudar.

L.P. Faustini disse...

Querida Larissa,

Obrigado pela informação, apesar de sua indelicadeza. Já alterei a imagem sobre o jugo, mas você poderá alterar a sua?

A paz.

L.P. Faustini disse...

Salve Enila,

Primeiramente gostaria de comentar uma passagem interessante que você escreveu:
"Creio que Deus permitiu, só não sei se Ele aprovou".
Felizmente, Deus nos deu o livre-arbítrio para escolhermos entre o bem e o mal. Deus permite que façamos as guerras, mas será que Ele aprova isso? Tente fazer uma pergunta inversa: "Será que Deus aprova que evangélicos só se relacionem com evangélicos?" Pense nisso.
Respeito a sua doutrina. Quando fazemos parte de uma, tentamos ao máximo não fugir de suas regras. Mas a sua doutrina a respeita? O quão tolerante ela é? Lembre-se de (Colossenses 2, 20): tais regras podem dar impressão de sabedoria, mas não têm nenhum valor real. Jesus nos ensinou: ame a Deus e ao próximo, isso resume todos os sacrifícios e todos os holocaustos.
Quanto à educação dos filhos entre casais de diferentes religiões, é lógico, cada um vai querer puxar a "sardinha" pro seu lado. No entanto, entre casais que se respeitam, eles sabem que a decisão de escolher uma religião ou outra (ou nenhuma) cabe apenas ao filho. E o fruto disso pode ser bom. É só lembrar de Santo Agostinho (de pai pagão e mãe cristã) que se tornou um dos maiores pensadores e filósofos cristãos de sua época. É difícil, mas possível.

Que Deus te ilumine!

Enila disse...

Graça e paz!
Que bom que me respondestes.
Demorei, mas estou de volta passando por aqui, e não poderia deixar de ler suas sábias palavras.
Grata!
De fato, a doutrina maior,é a do meu Bom Pastor, espero sempre segui-la!
Li, reli e meditarei em suas palavras.
Mais uma vez, obrigada!
Estarei sempre por aqui!

yasmin disse...

OI.
Gostei muito do que vc relatou em seu comentario,estou em um relacionamento a 4 ms esta tudo indo muito bem,vou refletir sobre tudo isso.
VocÊ esta de parabens!

L.P. Faustini disse...

Obrigado Yasmim!
A paz!

Di... disse...

Olá,Eu e meu marido moramos junto a mais de 1 ano, mas eu nao acho isso certo e ainda quero casar na igreja com padre e tudo.Porém sou católica e ele evangélico e tenho duvidas sobre isso,por exemplo:
A Igreja católica realiza casamentos assim sem que ele tenha que se batizar?Como è realizada a cerimonia?Por favor,aguardo resposta
Obrigada

L.P. Faustini disse...

Ei Di,

A paz de Cristo!

A sua resposta é sim, a Igreja Católica realiza casamento misto e considera que o batismo é um só, não importando em qual igreja a pessoa foi batizada. Sobre mais detalhes eu sugiro que entre no site http://www.veritatis.com.br/ e mande sua dúvida para eles.

Obrigado pela visita. Que Deus te ilumine.

Anônimo disse...

Caramba! eu chorei lendo seu texto e mais ainda lendo os comentários de todos aqui. É bom saber histórias de pessoas que estão passando pela mesma situação q vc. Eu sou catolica praticante e a qse 1 mês meu namoro chegou ao fim por causa de religião ( ele é evangélico da assembleia). Eu o amo muito e acredito que ele tbm goste de mim, mas ele tem dúvidas, acredito eu. Nunca chegamos a discutir sobre as doutrinas dele ou minhas, mas ele acredita ser errado estarmos juntos por sermos de diferentes religiões. Como vi alguem escrever ai: "eu nunca pensei que passaria por essa situação!", mas eu o amo demais e ainda estou sofrendo muito com essa separação. O pior de tudo é que estudamos na mesma escola, na mesma sala em periodo integral (manhã e tarde) é uma tortura vê-lo e nao poder beijar ou abraçar. O mais lindo dessa nossa relação é que estudamos juntos desde a setima e sempre nos gostamos, mas só agora no terceiro que ficamos juntos e nós somos muito animados. Ele é, assim, muito de bem com a vida sabe, eu o amo muito. Estou sofrendo demais e muito confusa pq eu tbm sempre acreditei que a religião não deve separar duas pessoas que se amam. mas eu espero em Deus! Parabéns pelo texto. comenta algo sobre minha história pf! a paz de Cristo

Anônimo disse...

(CONTINUAÇÃO)
Meu noivo disse que,como não abre mão do sacramento, só casa na Igreja Católica, nem na Evangélica e nem em um lugar neutro. E que tem mais um "detalhezinho": para isso, eu tenho que fazer um juramento, diante do padre DELE, que não vou levar meus filhos comigo para a escola bíblica, da minha Igreja (evangélica), porque os filhos do católico só podem ser criados na fé católica. Que dor eu senti! Aceitaria tantas coisas: abrir mão do sonho de casar diante do pastor da minha família (minha família é toda evangèlica, minha mãe é diácona, meu avô é pastor, minha vó diácona, enfim), até então, fazer o que, tínhamos que alcançar um meio termo, mas ele também não aceita casar em um lugar neutro (veja que a família dele não está nem aí para Igreja Católica), e o pior, além de saber que vou passar o resto da vida indo à Igreja sem meu esposo ao meu lado, não poderei nem exercer o direito da maternidade, de ensinar, ao menos levar meus filhos comigo à Igreja? Eu não me importaria, por exemplo, se meus filhos fossem também à missa!!! E esta é a opinião dos "líderes dele" (traduzindo, a catecista, o padrinho ex-seminarista e o padre)!
Isso é intolerância religiosa! Eu me sinto na Inquisição - conversão ou morte.
Não via - até então - problema algum com a Igreja Católica...incentivei o caminho do meu noivo rumo a Cristo, ainda que quisesse que fosse ao meu lado...não sei mais o que fazer, pensar, ou como agir. Dediquei tudo que tinha de melhor durante esses anos em nome do amor, e agora só vejo tristeza e desesperança, em meio às insistentes migalhas de fé que insisto em procurar para esta situação.

Anônimo disse...

Olá,
Fiquei muito aliviada em encontrar nesse blog o depoimento de várias pessoas que estão passando pelas mesmas dificuldades que eu passo. Sou evangélica e meu noivo se converteu católico cerca de um ano após começarmos o namoro. Tem dias que realmente não sei o que fazer, já orei, pedi conselhos, li vários livros a respeito dessa questão, conversei e estou chegando a conclusão de que a religiosidade é uma das pragas mais corrosivas que existem entre os homens. Quando comecei o namoro, tive que ter a "paciência" de enfrentar todo tipo de preconceito contra minha religião, comentários equivocados sobre os cristãos em geral e sobre Deus, hábitos não cristãos como palavrões e mentira. Só Deus sabe como orei e busquei força e sabedoria de Deus. Nunca orei para que meu noivo se tornasse evangélico, mas para que ele pudesse ter um coração convertido ao Senhor Jesus. E fui lançando as sementes, a cada pequeno momento, da Palavra, e do amor. Meu noivo é uma boa pessoa. Como sua família era de "católicos não-praticantes", ele resolveu sair da condição de crítico da Igreja (católica ou evangélica) e se aproximou de um amigo católico, ex-seminarista, hoje casado. Com isso, dentro do processo de conversão que estava passando, tornou-se Católico praticante. (CONTINUA)

Anônimo disse...

OBS. A MINHA POSTAGEM ESTÁ DE TRÁS PARA FRENTE! (PARTES 1,2 E 3). ASSIM, LEIAM DE TRÁS PARA FRENTE. OBRIGADA.

L.P. Faustini disse...

Anônima 1,

Obrigado pela visita e desculpe pela minha demora. Você escreveu "Nunca chegamos a discutir sobre as doutrinas dele ou minhas, mas ele acredita ser errado estarmos juntos por sermos de diferentes religiões." Devo comentar que ele tem o direito de pensar o que quiser e de você respeitá-lo por pensar assim, desde que a religião dele não influencie no seu caráter. Pessoas se dão bem não importando a religião quando ela não reflete no comportamento entre o casal. Cristo nos ensinou tanto sobre tolerância e o que estamos fazendo com ela?

A paz!

L.P. Faustini disse...

Anônima 2,

É realmente muito triste o que está acontecendo com a sua relação. Gostaria de ter palavras para dizer o quanto sinto. Na minha opinião, afinal, mesmo que ele não concorde com a sua religião, é importante estarem juntos em qualquer lugar. Ele demonstra insatisfação e não quer ceder em nada, mesmo que isso signifique o rompimento de seu noivado. Aconselho você a ter uma longa conversa sobre isso. E que Deus ilumine a sua decisão.

A paz!

josé disse...

Olá. Gostei muito do que você escreveu e olha se encaixa direitinho no que estou passando em minha vida neste momento pois, eu estou apaixonado por uma garota que é evangélica, porem a familia dela me parece na aceitar muito porque eu sou católico e ai me disseram que a religião iria nos distanciar devido não sermos de mesma religião, mas só que eu a amo muito e vejo uma reciprocidade de sentimentos. Aprendi muito com o que você escreveu e olha estou precisando de uns conselhos para como argumentar e convencer a familia dela de que isso é um grande preconceito.
Valeu ai abraço...

josé disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Caroline disse...

olá, adorei o texto e eu como muitas pessoas infelizmente também estou passando por isto. Sou católica, assim como toda minha família e meu noivo evangélico. Estavamos juntos ha 4 anos, sempre nos demos muito bem, mas terminamos ha 20 dias. Ele não frequentava nenhuma igreja e no ano passado começou a participar da assembléia de Deus. Desde então nosso namoro e convivio foram ficando cada vez mais dificil, eu sempre apoiei o fato dele frequentar a igreja pois achava mesmo que precisava ja que nao queria me acompanhar nas missas, mas depois de algum tempo ele começou a se distanciar, dizer coisas como "Gostaria que você me acompanhasse na minha igreja", "Não quero me casar com você sendo católica", "Não acho que está certo continuarmos nessa situação", " Estou em dúvida quanto ao nosso namoro" Coisas que foram me magoando pois nunca pensei dessa forma, pelo contrário: Eu penso que Deus é Amor, Deus é muito mais que religião e nao faz distinção entre católicos ou evangélicos. Ele ja me chamou para participar com ele mas nunca senti a mínima vontade de ir a algum culto, não sinto que devo ir, não sinto que alguma coisa vai mudar se eu for, é isso que Deus me mostra. Ele começou a participar cada vez mais, quase todos os dias e mal nos falavamos, ele estava sempre ocupado no culto, ou nos ensaios do coral. Até por telefone não se preocupava em conversar. Chegou um dia em que ele chegou a dizer que não sabia mais se devia continuar comigo pelas nossas "diferenças" e eu não queria viver assim, parecendo que ele está comigo por dó ou coisa do tipo, sempre jogando essas coisas na minha cara, que namoro era esse? Mal nos viamos... então decidi que era melhor acabar tudo, estou sofrendo muito porque o amo de verdade, a única coisa que queria era que ele me respeitasse, como eu sempre o respeitei... apenas isso, nao que me julgasse ou ficasse sempre na esperança que eu me convertesse. Como se eu fosse "a perdida da história" O que mais me icomoda é o fato dele ficar com esse pensamento, que eu era a errada e a igreja dele a certa. Não concordo em julgar as pessoas dessa forma.
A única coisa que faço é entregar nas mãos de Deus, para que ele me dê forças, pois não esta sendo nada fácil ficar longe da pessoa que amo. Espero que um dia esse preconceito acabe e não desejo que ninguem passe por isso.
Parabéns pelo blog e que Deus abençoe a todos!

neuza disse...

olha para todos católicos e evangélicos e todo ser humano.o sinônimo do amor é colocar a paz onde tem guerra.devemos agradecer a DEUS pela vida.Jesus disse sede santos como eu sou,ouvi alguns pastores que falam em santidade para os fiéis,inclusive silas malafaia-assembléia de deus,quam fala mal de santos é porque tem inveja da vida santificada que eles tiveram na terra,se a igreja deram o o troféu de ser canonizado,fazer o que?eles mereceram essa honrra,eu espero ser santa,mas.....a igreja católica por falar em santos que são pessoas virtuosasdiante de deus e dos homens,dizem que ela veneram,não,ela honrra essas pessoas,e pregam a jesus como único salvador dos homens.Então aconselho a todos que pensam e falam mal dos santos que procuram ver sua vida contada nos filmes e depois me digam se eles nao foram santos eu e voce que não será......vai aí algumas dicas em filmes madre tereza de calcutá,santa rita de cássia,santo antonio de pádua,santo agostinho e muitos outros,santa bakita da áfrica.quantos santos vivem ao nosso redor?se você procura santidade,porque condena os santos.A igreja católica vive a falar desse assunto.como disse JESUS no milagre da mulher q tinha fluxo de sangue "mulher a tua fé te salvou" fé é dom,é a coisa mais maravilhosa que deus permitiu para nós.viva o amor de DEUS e deixe o resto de lado.ame,ame,ame,e parte para a ação,que serás santos....com aS graçaS de DEUS

L.P. Faustini disse...

Ei José,

Salve meu amigo, você me adicionar no msn ou enviar e-mail a mim para conversarmos sobre o assunto. Terei prazer em te ajudar. Meu e-mail está no meu perfil do blog.

Grande abraço e paz...

L.P. Faustini disse...

Caroline,

Ah, o orgulho e a vaidade... como se assemelha o orgulhoso e vaidoso a satanás. Lembre-se que Satanás queria ser como Deus, destroná-lo, e acabou sendo expulso dos céus. Veja bem o que Jesus disse: "Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus."

Que Deus dê forças ao seu coração. A paz e um abraço apertado.

Anônimo disse...

Olá L.P.Faustini.
Eu adorei o seu blog. Estava pesquisando por acaso e encontrei. Que Deus te abençoe por levar essas palavras sábias para a vida das pessoas.
Estou em um momento muito difícil da minha vida. Eu sou católica, de família totalmente católica e namoro um evangélico. Nunca tive preconceito nenhum e nem ele em certas partes. Porém, até hoje, tudo ia bem porque eu me submetia a ele e ia aos cultos de vez em quando. Ele toca na igreja e me dizia que se eu não fosse nunca, ele perderia o posto. Só que com o tempo eu vi que o que ele queria era que eu me convertesse.
Até que um dia desses que eu me decidi. Não posso ter dois caminhos. Quero continuar na minha igreja. Só que está sendo difícil lidar com a situação. Toda a família dele é evangélica e as vezes eu me sinto deslocada. Ele me disse algumas coisa da minha religião que me magoaram muito. Ele acha que nós acreditamos em coisas erradas.
Eu não sei mais oq ue eu faço.
Por enquanto, não está me afetando muito. Mas eu penso depois que eu casar. Como vai ser?
Eu sozinha na minha e ele sozinho na dele?
Ele já me disse que se a gente tiver um filho eu não posso nem pensar em batizá-lo.
Eu amo ele. Só que ultimamente já me sinto desiludida.
Deus abençoe vocês.

Caroline disse...

Para: Anônimo

Olá, estava passando por aqui novamente e li seu comentário. Sua história é semelhante a minha. Também ouvia muitas coisas que me magoavam e sei o que voce esta sentindo. Ele tbm ja chegou a dizer que não iria aceitar o batizado do nosso futuro filho e coisas do tipo, na opinião dele apenas a igreja dele é a certa, e verdadeira, e para ele a errada sou eu pois eu não quiz seguir o mesmo caminho com ele, se esquecendo do principal em um relacionamento: o respeito. Você deve orar, pedir para que Deus te guie e te ilumine, e decidir: Ou você, continua cedendo e aceitando o que ele impõe, ou você deve seguir suas convicções e o que você realmente acredita. Sei o quanto é dificil pois queremos seguir junto com quem amamos, mas as vezes temos que fazer escolhas. Sempre achei injusto esse preconceito, esse orgulho, ele se tornou egoísta, pois só as coisas dele eram importantes, apenas os compromissos dele da igreja tinham valor. Se eu ia a missa o meu tempo estava sendo jogado no lixo. Eu optei por seguir o caminho que eu acredito, o que resultou na nossa separação, pois nosso namoro chegou a um ponto em que ou eu me convertia a religião dele ou nos separavamos, e ele ainda esta pensando da mesma forma, pois diz que me ama, mas ou ficamos juntos em TUDO ou separados de vez. No dia 1 irá fazer dois meses que estamos separados, agora não estamos mais nos falando. Ainda sofro muito, pois para mim não precisavamos passar por nada disso se houvesse algo tão simples: respeito. Acredite em Deus e confie, ele te dará sabedoria e forças para seguir em sua decisão.
Que Deus te abençõe, um abraço - Caroline

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Elon Pablo Vertelo disse...

Meu nome e Elon Pablo.
a biblia diZ eu e minha casa serviremos ao senhor,
DIZ TB que o homem e a mulher tormam se uma so carne, e se sao uma so carne e impossivel estarem divididos, ou seja um acredita nisso e o outro naquilo, nao to dizendo que o casamento nao dara certo, pois em si pode dar sim, mas qual o objetivo de se unir sentimentalmente se estao separados espiritualmente, nao falo de religiao falo de servir e adorar a DEus e somente ao pai filho e espirito santo, porem se o outro acredita em Deus e o louva, porem louva e adora algo aquem de Deus, nao ta certo, pode ir em qualquer igreja desde que toda honra e toda gloria seja dada ao pai,filho e espirito santo, e, nada a mais do que isso, pois so ele e realmente santo. santo e aquele que nao tem pecados, e o unico homem, carne e osso com estas caracteristicas e jesus. maria pecou,os dicipulos de jesus pecaram por isso nao sao santos, mas mesmo assim merecem todo respeito pois foram fieis a Deus, respeito sim veneracao nao, pq se fosse assim deveriam me adorar tb, pq sou fiel a deus, mas sou tb pecador como maria e varios apostolos de jesus, por isso eles nao devem ser adorados

patricia_soeiro disse...

L.P. Faustini, foi muito bom ler seu blog. Como essas dezenas de pessoas, estou passando pelo mesmo problema. Sou católica e ele evangélico. No começo íamos um final de semana na minha igreja e no outro na dele. Eu consegui me adaptar e até gostar da igreja dele. Mas ele toda vez que vai na minha fica de cara feia. Fala que não pode enganar um sentimento que ele está sentindo. Tudo isso pq na igreja católica tem imagens (já falei que não adoramos imagem) e pq louva Maria (já falei que não adoramos Maria. Mas fica muito complicado, pois eles acham que nós somos ''do mundo'' e que não ''aceitamos Jesus''. Como isso é complicado....

Anônimo disse...

Adorei o que vc escreveu, estou passando pela msma situação, so que no meu caso é ao contrario, quem é evangélico é ele e eu não sou, so que estou com muito medo, pois a igreja toda está pegando no pé dele, até o pastor...
Sou fiel a Deus, então seja o que Deus quiser.

L.P. Faustini disse...

Elon Pablo e Patricia Soeiro,

Gostaria de agradecer a vinda de vocês aqui no blog e deixar uma palavrinha: Jesus disse que os homens são enganados por achar que Deus está nos templos de pedras construídos por homens. E completa: 'chegará um dia que os verdadeiros adoradores adorarão a Deus em espírito e verdade'. Significa, gente, que Deus está à nossa volta. Igreja católica ou evangélica são templos de pedra construídos por homens. O que importa é o que está dentro do nosso coração, o quanto vivemos o evangelho no nosso dia a dia. Isso é adorar em verdade e espírito. Lembrem-se disso! (ATOS 17,24) (JO 4, 20-24)

A paz!

Anônimo disse...

Olá, estou passando por um problema desse abordado. Meu quase ex-namorado é catolico desde que nasceu, e eu pela graça de Deus sou evangelica, e sei o que é certo perante Deus.
Bom e o convidei pra ir comigo no culto daí td começou, ele chego até a dizer que nunca iria, e que era realmente impossivel.
Só que meu amor por Deus é bem maior do que o "amor" que eu pensava em ter por ele. Os sonhos de casamento ao lado dele se foram assim derrepente depois das palavras que ouvi.
Pois bem agora ele disse querer virar "crente" só pra ficar comigo, mas não acredito que seja de coração. Mas minha vontade de voltar a namora-lo acabou. Sei que as benção de Deus enriquecem e não acrescentam dores.
Pois bem eu nunca acreditava, mas depois que passei por essa situação pude perceber que o jugo desigual realmente para mim não dá. Deus abençoe sua vida.

L.P. Faustini disse...

Querida anônima,

Na minha opinião, o jugo desigual se inicia no momento em que alguém na relação se julga mais abençoado que o outro. Quando você se julga iluminada, automaticamente todos os outros estarão nas trevas. Ser cristão não é uma disputa, é uma opção. Lembre-se: "bem-aventurados os humildes de espírito". Que isso valha para você e seu 'futuro ex-namorado'. Reflita!

A paz...

Luana disse...

Eu estava lendo o que você falou sobre casamento e gostei muito serviu até para clarear um pouco minha duvidas.Eu sou evangelica meu namorado é catolico estamos namorando a dois anos e agora queremos Casar e conversando sobre casamento começou aparecer os questionamentos devido a diferença de religião.
1.eu quero casar com a benção do pastor e ele com a do padre.
2. Ao casar queremos ter nossos filhos,já conversamos sobre batizar os filhos uma vez que ele e a familia dele é catolica.Ele disse que os filhos dele no caminho certo e feliz ele não irá intervir.

Entre outros questionamentos que estamos fazendo sobre um futuro casamento, mas o que tem me deixado mais triste é o fato do casamento eu querer com o pastor e ele com o padre e me pergunto depois de casada será se nao vamos ter problemas maiores?
Conversei com a minha lider de celula e ela disse que tenho que orar, pedir que Deus mostre o melhor e que transforme tanto o meu coração como o dele. O pastor da minha igreja é muito categorico qdo fala que religiao nao salva ninguem e eu acredito muito nisso,não só pelo pastor ter falado,mas, por saber que tem muitos que estao dentro da igreja com a biblia debaixo do braço falando de Deus e eh um pessimo filho um pessimo marido e na igrja é uma pessoa maravilhosa, como tbm tem catolicos de esta sempre na igreja e ser uma pessoa totalmente contraria oas principios da igreja, como tbm tem aqueles que são catolicos e são pessoas cheia de amor,simplicade, humildade e fala do amor de Deus, tenho comigo que o que salva é sua fé com Deus. E quando tem ele no centro de Tudo não existe dificuldade que nao venha a ser superada.
Meu namorado é um otimo filho, é um otimo namorado, nao gosta de festa, nao bebe, é muito caseiro e não adora santos e quando vai falar com Deus, ele sempre se remete a Deus e isso me deixa mais alegre. Ele me acompanha nos cultos e qdo esta na igreja sempre fica em comunhaõ com Deus nao fica so de corpo, mas observo que ele participa, só não vai mais comigo pq nosso namoro é a distancia.Amo meu namorado, ele de fato é uma pessoa maravilhosa, sempre buscamos DEus como centro de tudo ele nunca me disse que não iria na minha igreja sempre vai gostar das minhas amigas da igreja e se dar muito bem com todos e sempre qdo termina o culto vamos falar do que o pastor falou como crescimento para gente.
E a minha relação com a familia dele é maravilhosa, todos me aceitam e todos dizem que Deus eh um só e eu sinto que sou bem recebida e a minha familia gosta muito dele tbm e tudo isso me faz pensar cada vez mais sobre certas atitudes minhas em relação a diferença de REligiao.
Gostaria de trocar algumas ideias sobre o que falei.

L.P. Faustini disse...

Ei Luana!

Agradeço muito o seu depoimento aqui. Vamos trocar idéias sim, me adicione no msn para conversarmos. É só clicar no meu perfil que aparecerá o e-mail.

patricia_soeiro disse...

Faustini, bom dia. Já postei aqui há algum tempo. Meses se passaram e quando tudo parecia q estava calmo, ficou tudo confuso. Resolvemos cada um seguir a sua religião. Saíamos aos sábados e aos domingos nos saíamos, mas dps cada um ia para a sua igreja. Esse final de semana teve um encontro de jovens na Igreja dele. Ficamos o final de semana todo sem se falar. Isso já foi uma tortura. Assim q ele voltou, já foi me avisando que quer voltar para o seu ministério de intercessão. Ou seja, até ai nenhum problema. Mas só nos vemos sábado a noite e domingo. Se contar todas as horas q nos vemos durante uma semana, o resultado será +ou- 6 horas. O ministério de intercessão se reune aos sábados. Fora q a intercessão vai em todos os eventos da Igreja. Ou seja, não nos veremos mais. Aí ele deu a ideia de um sábado nós irmos ao grupo jovem dele e no outro ele ir no meu. Falou q ia conversar sobre o pastor sobre isso, pois não quer me perder. Mas não é só isso, antes dele chegar nessa ''solução'', ele tentou d todas as formas q eu acompanhasse ele, q eu fosse para a rreligião dele. Falou q queria q eu conhecesse Deus como ele conhece, da forma q ele conhece. Falei para ele q não existe uma receita de bolo para conhecer Deus. Sabe já chorei, já pedi intercessão de Nossa Senhora, já pedi ajuda a Deus. Não sei o que fazer. Não sei se vou aguentar isso, pois eu sou receptiva aos ensinamentos dele, mas ele não é receptivo aos meus. Tenho muito a ensinar, mas quando se trata de catolicismo é como se o ouvido dele se tampasse. Estou sofrendo...só Deus mesmo!!!!!

Quando estavamos indo as duas Igrejas, isto estava me deixando um pouco confusa. Então comecei a procurar a Renovação Carismática Católica. Fui a um grupo de oração, como cheguei um pouco nates fiquei conversando com Deus em pensamento, para q ele me mostrasse o que eu deveria seguir. No momento da oração do grupo, o grupo de intercessão falou o seguinte: ''tem um visitante que já foi em outras igrejas, mas Deus fala para vc que seu lugar é aqui. Aqui tem a verdadeira eucaristia.'' Naquele momento sabia q esse recado era para mim, pois eu estava sozinha, conversando com Deus sobre isso. Tinham umas 200 pessoas grupo....pedi uma resposta para Deus, e ele me deu. Foi lindo.

Muito obrigada por ''escutar'' meu desabafo.

Que seja feita a vontade de Deus.

Patricia Soeiro

Niii disse...

Patricia, passei por situações muito parecidas com a sua, me add no msn
ninivecr@hotmail.com
a troca de experiências pode ajudar.
Se alguém mais quiser add, fique a vontade.

Anônimo disse...

gOSTEI!
eSTOU CONVERSANDO COM UM RAPAZ E ELE É EVANGELICO,E QUER NAMORAR COMIGO,E AS VEZES FICO EM DUVIDA.MEDO DE ME APEGAR A ELE,E ACONTECER DA GENTE,TERMINAR POR CONTA DAS NOSSAS RELIGIOES Q SAÕ DIFERENTES! NÃO SEI O Q FAZER...

patricia_soeiro disse...

Niii,tudo bem? Não tenho MSN, se quiser, podemos nos falar por -email. É só me passar seu e-mail ou é o mesmo do msn?

Obrigada

Patricia

Giselle disse...

Que Jesus e Maria abençoem sempre a sua vida irmão..pelo seu blog pude ficar mais tranquila em relação a situação que vivo hoje!

Anônimo disse...

olá, meu nome é Rafaela e estou passando por uma situação difícil e seu blog me ajudou um pouco, meu namorado é evangélico e eu católica, nós namoramos desde muito tempo, na verdade fomos o primeiro amor um do outro, mas com as religiões diferentes não estamos conseguindo ser felizes juntos por causa do pastor dele... diz que é pecado ele namorar alguém de outra religião e eu estou sem saber o que fazer pois não quero trocar minha religião nem quero que ele troque a dele, mas também não quero ficar sem ele...
mas meu maior problema é que o pastor dele não aceita o nosso namoro de forma alguma, o que é um preconceito por eu ser católica...
achei lindo um dos primeiros comentários que dizia que o casal se casou com o pastor e o padre...
queria que isso pudesse acontecer comigo...

a paz a todos!

Anônimo disse...

Namoro(ava) um evangélico presbiteriano (que já foi casado). Ele sempre soube que eu tenho o sonho de casar-me na Igreja Católica. Ele mandou que eu perguntasse ao padre se havia algum impedimento p/ o casamento. Qdo. disse-lhe que não havia nenhum impedimento, ele relatou que se sentia ofendido pela Igreja Católica, começou a destilar ódio ao Papa...surtou. Estou muito triste, desapontada, o homem teve um surto bipolar ou bateu um BAITA PINO comigo. Por fim, disse-me que não pode ir de encontro aos seus valores. As coisas esfriaram subitamente entre nós, foi como se eu virasse uma "satanás" em 24h. Ainda ouvi que não poderemos ser uma só carne e um só corpo. Tristeza...muitas lágrimas derramadas. Que ódio é esse aos católicos? Que alienação!

Anônimo disse...

Ahhh, detalhe básico. O evangélico presbiteriano em questão foi casado com uma cidadã que professa a mesma fé e esta exímia criatura a-c-a-b-o-u com a vida dele. Mas mesmo assim o cara está preso aos ensinamentos preconceituosos. Que coração de faraó!!!

Movimento "Jovens da Luz" disse...

Ola só Angola e gostei bastante este texto. Sou cristã católica e namorei durante 4 anos um jovem evangelico que ñ respeitava a minha religião, as nossas brigas a maioria das vezes era por causa da religiao, 2º ele eu vivia nas trevas pois a Católica é uma mentira, como tu aprendi mto nesta relação aprendi a buscar a presença de Deus Continuamente, estou noiva de um evangelico, e não temos problemas pq nós nos amamos e nos respeitamos mutuamente. Vamos nos casar na Igreja católica depois passamos a frequentar a Igreja baptista p\ professarmos a mesma fé. Por causa dos nossos filhos. Estamos a ter problemas em escolher padrinhos pq a católica só aceita padrinhos Católicos e os nossos conhecidos a maioria sao evangelicos. Eu tenho a certeza q Deus vai nos iluminar e achar Padrinhos certos...
SHALLOMMMM P\ TODOS...

Anônimo disse...

Para "Jovens da Luz". Que bom que verdadeiramente você encontrou um homem de Deus, virtuoso e que sabe amar. Deus abençoe imensamente o relacionamento de vocês. Shalom para ti também.

Anônimo disse...

Olá, estou passando por um momento complicado em meu relacionamento, eu sou evangélica de nascença e meu namorado é católico de nascença, mas não sei o que está acontecendo, seja por insegurança dele ou não, eu já o acompanhei em sua religião e quando eu o convido ele diz "vc sabe que eu nao entro na sua"... todo dia que comento de ir ao culto ele se irrita dizendo que é "um absurdo, justo no domingo em que todos os casais estão saindo, vc me deixa sozinho" e chegou até dizer "vamos combinar o dia de vc ir no culto aí posso sair com meus amigos e não ficarei com esperanças nenhuma de te ver", daí eu disse "então nos vemos em outro horário" e ele "outro horário não, se quizer é esse", nao sei o que faço.

A respeito de casamento ele diz ser um sonho casar na igreja dele não aceitando ser culto misto (pastor e padre) e não aceita se for fora da igreja dele.

O que vcs podem dizer a respeito.
Desde já agradeço

Aliás, ótimo texto.

L.P. Faustini disse...

Ei Patricia,

Desculpe a demora a responder. Abandonei um blog por um tempo para me dedicar a outros projetos.

Olha, a sua história está parecendo muito com a minha. Eu a via no máximo 6h por semana por causa do 'encontro de jovens', do 'ministério', da 'vigília', do 'discipulado', do 'pré-aquecimento' pro culto. E quando a perguntava: 'vamos na missa?' Ela dizia: 'não posso'. Por isso que digo: é bom que escolham pessoas que professam a mesma fé, mesmo que esse negócio de 'jugo desigual' entre cristãos não exista, mas o modo de se expressar como cristão varia. E para mim, aquilo era um exagero. Se tudo isso gerasse uma pessoa nova, abençoada; mas não: eu me sentia como uma ovelha em volta de lobos. O que tinha de rapazes de olho na minha namorada não era brincadeira não. Eles frequentavam a 'casa do pastor' só para flertar com ela. Isso era terrível.

Eu não tenho nada a comentar mais sobre o seu relacionamento. Vejo que a sua situação já está se tornando insuportável. Contudo, não se esqueça: não guarde mágoa de nada. São pessoas diferentes com visões diferentes apenas. A pessoa não muda por alguém, mas por ela mesma.

A paz! e agradeço a sua confiança.

L.P. Faustini disse...

Ei Giselle,

Igualmente. A paz de Cristo Jesus!

L.P. Faustini disse...

Rafaela,

Pecado é o pastor julgar as pessoas pela sua religião, porque só quem conhece o coração das pessoas é Deus.

A paz de Cristo!

L.P. Faustini disse...

Anônima que namorava o evangélico presbiteriano,

Às vezes pergunto para minhas amigas evangélicas: Vocês querem um marido que vão te tratar bem a vida inteira, ou um evangélico pra casar? É lógico que elas respondem um 'marido evangélico que vai nos tratar bem a vida inteira'. Mas a prática comprova que mesmo se elas achassem o príncipe da vida delas, mas de outra religião, elas casariam com um evangélico com bem menos qualidades. Fato. Eu só torço para que elas sejam felizes.

A paz!

L.P. Faustini disse...

Movimento Jovens da Luz,

Muito obrigado pelo seu depoimento. Que Deus ilumine o relacionamento de vocês!

L.P. Faustini disse...

Querida anônima evangélica que namora um católico,

Realmente há um pouco de intolerância no seu namoro por parte dele. E vejo que ele não quer facilitar as coisas. Minha sugestão é que você entre em acordo, pois assim o relacionamento não vai pra frente. "Não basta ser namorado, tem que respeitar a fé que você professa". Sem respeito, não há relação.

A paz!

luis disse...

Olha Eu estou amando uma garota Envagelica mais eu sou catolico essa questao ta interferindo muito a gente se aproximar eu a respeito e por isso nem converso sobre religiao para nao haver brigas ela converso com o pastor e ele falo para ela procurar alguem da mesma igreja eu estou disposto ir frequentar a mesma igreja para ficarmos juntos mais tenho muito medo o que eu posso fazer eu a AMO e nao quero perde-la por causa da religiao se alguem me ajuda fiko grato Deus abençoe todos vcs
meu msn vilano32189@hot

Anônimo RJ disse...

Bom, como todos já falaram, tambem me encontro nessa mesma situação. Estou "namorando" um rapaz de um carater MARAVILHOSO e tem um coração voltado para Deus. Porém existe essa tal diferença que está martelando meus pensamentos e meu coração. Sou evangélica e ele católico. Já cheguei a terminar com ele por que não estava tão firme com Deus e o melhor foi terminar. Hoje me sinto muito mais forte, e sei que estou como Deus quer. Porém, eu reatei meu relacionamento, tenho orado por conta disso, Deus tem me usado e vejo que Deus, aos poucos, tem mudado a vida dele. Como já disse a gente se ama demais, e eu tento ao máximo respeitá-lo por conta da religião dele e ele a mesma coisa comigo. Só que tenho sentindo um peso muito grande na consciência, e sinto, por vezes, que eu tenho que terminar com ele. Acho que na verdade, isso acontece com todos evangélicos que se encontram na mesma situação que eu. Isso não é normal :S Sei que Deus tem o melhor pra mim, eu acredito nisso... só não consigo compreender esse "tal peso" que tenho sentido dentro de mim.
Beijos e obrigada pela atenção.
Fiquem com a paz de Cristo :D

Anônimo disse...

ola l.p estava pesquisando sobre u7m assunto e vi o seu blog .
o negócio é o seguinte , eu sou evangélico e minha namorada católica , nós temos 3 snos de namoro e estamos quase nos casando , mas o q esta nos impedindo é a questão de sermos de " denominações " diferentes
gostaria de saber qual a sua opnião quanto a nosso caso ...

L.P. Faustini disse...

Anônimo que está para se casar,

Lembre-se: "que atire a primeira pedra aquele quem não tem pecado". Somos todos pecadores: católicos e evangélicos. Jesus foi claro que sendo um fariseu, um homem da Lei, ou uma prostituta, denominações não representam nada diante do que você tem em seu coração.

Anônimo disse...

Olá, primeiramente queria lhe parabenizar pelo seu blog,me ajudou em mt coisa .. então como todos,tô passando pelo mesma coisa .. sou católica e tô conhecendo uma pessoa maravilhosa,ele é evangélico,e disse está apaixonado por mim e eu também tô !só que ele tem motivos p. não querer um relacionamento sério agora,e um deles é a respeito da nossa religião diferente .eu não vejo problema algum,até porque já teve tempo que eu frequentei mt a igreja evangélica,e até gosto e me sinto bem ! pois eu acho que Deus é um só !! mas ele ver a minha religião como errada,como a treva,que na minha religião ,vamos p. igreja p. adorar santos e na verdade não é isso, adoramos a um só Deus !ele diz também que o pastor e familiares,teria que aprovar e que na religião dele a preferência pra namorar alguma garota ,tem que ser evangélica .. o problema é que nos conhecemos a tão pouco tempo,e nos apaixonamos de uma maneira tão bonita e rápida,que eu tô com medo de levar mais adiante e acabar sofrendo por ele não querer ter um relacionamente sério,e vir terminar comigo ! enfim é isso,aguardo atenciosamente a sua resposta,desde já obrigada e parabéns novamente .

Anônimo disse...

Olá, Estou aqui com algumas dúvidas a respeito de meu relacionamento. Sou Evangélico e a pouco tempo conheci uma moça realmente especial a meus olhos, nosso relacionamento ainda está no início mas me dou super bem com ela, nunca nos meus 23 anos de idade conheci alguem como ela, porem ela tem um "defeito", ela não é Cristã como eu, ela é Budista. Meus pais sempre me educaram dizendo que era importante eu me casar com alguem com a mesma crença que a minha. Mas agora me pergunto se realmente é tão errado assim ter uma relação com uma pessoa que não é Cristã. Eu penso que Deus olha para nossos atos, como vivemos, devemos amar ao próximo como a si mesmo, ele disse. Essa moça tem muito amor ao próximo, ela leva uma vida exemplar, exemplo até para mim q sou Cristão. Fica então minha pergunta, devo sentir peso na consciência por namorar essa moça? Em minha vida Deus está em primeiro lugar por isso, se esse relacionamento realmente não for da agrado Dele, vou ter que me distanciar dela??

Vc tmb sabe de passagens bíblicas onde está escrito sobre esse assunto?

Um abraço a todos e parabens pelo Blog, aguardo respostas...

L.P. Faustini disse...

caros amigos anônimos (católica que namora evangélico e o evangélico que namora a budista),

Vou citar uma passagem para refletirem, ela se encontra em Colossenses 2,20:
"Se em Cristo estais mortos aos princípios deste mundo, por que ainda vos deixais impor proibições, como se vivêsseis no mundo? Não pegues! Não proves! Não toques!Proibições estas que se tornam perniciosas pelo uso que delas se faz, e que não passam de normas e doutrinas humanas."
O que o versículo quer dizer é que se vocês são realmente cristãos, qualquer proibição que vocês se impõem não passa de doutrina humana. O cristão não é aquele que obedece a padrões e imposições. Vocês se preocupam com o que os outros vão pensar de vocês. Vocês agem como se fossem fariseus: eles adoravam adoração em praças públicas, pegavam as primeiras cadeiras das sinagogas, ou seja, antes de tudo o que eles queriam mesmo era aparecer. Mas por dentro, disse Jesus, eram podres. "Sepulcros caiados", dizia ele. Entendam que espiritualidade não tem nada a ver com o que você mostra para os outros, e sim a sua comunhão com Deus. Você me pergunta: "Se esse relacionamento realmente não for da agrado Dele?" Eu te pergunto: "Agrado Dele ou dos membros da sua igreja que impõem regras e te proibem de ser feliz?" A salvação é pessoal, não vai ser a sua namorada que vai te tirar isso. A salvação só depende de você. Portanto, seja feliz com a pessoa que quer ficar. Se você se distanciar de Deus, a culpa não será dela, será sua.

Um abraço e a Paz a vocês dois.

Anônimo disse...

Olá, sei que muitos já falaram sobre isso, os comentários tornaram-se até repetitivos, mas resovi partilhar um pouco sobre o que estou vivendo: Namoro ha 1 ano e 3 meses com um rapaz evangélico que exercia várias funções em sua igreja, e eu católica participo de grupo de oração, prego, evangelizo,enfim, busco fazer a vontade de Deus. Com uns 4 meses de namoro, a familia e os membros da igreja dele perceberam que estávamos namorando, e o pastor deu um prazo de uma semana pra ele terminar o nosso namoro( devido aos motivos que já foram citados em outros comentários, diferenças de religiões, blá, blá, blá). E qndo ele veio conversar comigo sobre isso, eu fiquei praticamente em estado de choque, pois já o amava muito, sofremos muito, por saber que não poderíamos ficar juntos, e o pior de tudo sem ter culpa alguma por isso. Ao perceber minha reação, ele teve certeza do meu sentimento por ele e decidiu que ele não ia terminar. Infelizmente ele foi indisciplinado (perdeu seus cargos na igreja), só que ele me escondeu algumas dificuldades, não me contou sobre oq a familia dele pensava, não me contou q havia sido indisciplinado por minha causa, enfim... Uns meses depois ele teve que mudar de cidade, mas ele nunca deixou de participar da igreja dele, porem se afastou um pouco. Hj estamos juntos graças a Deus, nos respeitamos mto, e temos planos de nos casar, e eu ñ tenho medo das diferenças e das dificuldades q ainda virão, pois já sofremos mto por religião, e percebemos q ñ é essa a vontade de Deus. Deus quer que o AMOR prevaleça e ñ as divisões. Garanto a vcs q é mto dificil lidar com as diferenças, mas precisamos fazer a vontade de Deus e não a dos homens! L.P Faustini admiro sua sabedoria e percebi o quanto vc ajudou todas essas pssoas q comentaram aqui... Bgd, e que Deus te abençoe grandemente!

Anônimo disse...

Nossa, seu texto é ótimo e me acrescenta MUITO. Meu nome é Laura e eu namoro um rapaz da assembléia de Deus, onde tudo é errado e não se pode nada. Sou católica, participo de tudo, sou coordenadora do grupo de jovens, minha família também é católica e ele nunca esta aberto ao me ouvir mas eu tenho que entender ele. Isso me deixa muito triste, pois gosto dele e quero estar com ele, mas pela religião sinto que não dará para termos uma vida mais promissora =/
Penso que a felicidades se esta em Jesus, vivendo com amor e respeito e por acreditar Nele é que espero que tudo certo (: A Paz!

Anônimo disse...

o meu namorado, é católico. eu sou evangélica desde que nasci. minha família toda e é evangélica. Conheci meu namorado, e ele dá um ótimo testemunho de vida, sinceramente, melhor do que os da minha igreja.ele me faz muito feliz, me ama, e me respeita, e temos uma ótima relação. eu e meu pai.. eu sei que no fundo ele nao ve problemas no meu namoro, so quer que eu seja feliz.. já minha mae.. sempre solta piadas que nao quer que esse meu namoro continue. ela adora meu namorado como pessoa,mas nao como meu namorado. não sei o que faço. se me converter, serei rejeitada por toda minha familia... se continuar evangelica.... vamos ter vida totalmente separadas ...

Anônimo disse...

olá!
gostei muito do blog, meu caso é bastante parecido com a maioria dos casos relatados acima! To muito mal sabe...nao sei realmente o que faço!
no meu caso eu sou católico e minha namorada é evangélica, sempre soubemos muito bem nos respeitar e sempre fomos muito felizes, ela me ensinou muitas coisas e eu tambem! só que de um tempo pra cá eu comecei a ficar um pouco preocupado com isso! Sempre os evangélicos que ficam assim, só que no meu caso nao, eu que sou católico que sou assim! Minha namorada me respeita e eu a respeito muito, só que eu tenho muito medo de dar alguma coisa errada! Sei dos muitos erros da igreja católica e sei tambem de muitos erros dos protestantes! preciso tanto de uma ajuda...agente se ama tanto!

Anônimo disse...

Eu era catolica e meu namorado é catolico, ñ vejo preblemas no relacionamento, pois todos louvam ao mesmo Deus e oa que importa msm é o amor. Quando passei a ser evangelica, soube q nós ñ poderiamos casar, devido a religiao dele, só q ele também não quis converter-se. Foi mu9ito sofrimento p/ ele pq ele me ama de verdade quando falei q ñ poderismos casar, ele chorou muito e eu também. Só q por amor a ele resolvi voltar a ser catolica, mas c/ a religião evangelica aprendi muito, principalmente q a fé em Deus é muito importante, espero q Deus abençõe nosso namoro. Paz! E parabéns!!!

Deise disse...

Parabéns por seu texto.
Minha mãe era católica, meu pai luterano, eu frequentei as duas igrejas, me casei, e meu marido era espírita. Minha filha namora um mulçumano. O que aprendi de tudo isso é que Deus é um só, ora chamado de Deus ora de Alah. A interpretação das escrituras é diferente em cada religião,e em cada uma se acrescentou textos ou se suprimiu...mas se pregam o bem, a fraternidade e a paz, este é a essência da religiosidade. Se vc escuta a interpretação de cada um e conhece bem história da humanidade, vê que foi pura questão de interpretação. O que está escrito, depende muito da época, da historicidade. Por exemplo; quando Moisés libertou os judeus e fugiu com eles para o deserto, verificou que muitos adoravam estátuas de animais, que eram deuses egípcios... e na bíblia há um trecho que ele fala sobre a abominação das estátuas... mas se vc conhece história, sabe que ele falava de adoração de animais... o que considerava errado, não quis falar exatamente das estátuas, mas algumas religiões levaram ao pé da letra... tentar compreender sem pré-conceitos.Isto é muito importante.

Deise disse...

Li a bíblia, como quem lê um livro ... com olhos críticos e procurando entender cada trecho dentro de seu contexto histórico... Fico imaginando como explicar cientificamente a criação do mundo na idade média?
Ou como Moisés dirigia um bando de ex-escravos famintos, no meio de um deserto, e tentava tirar deles a crença de adoração dos deuses egipcios. Muita gente fala das escrituras baseado em textos que são lidos por seus pastores ou padres, com interpretação particular de cada um. Dou um exemplo... se eu pegar um livro do Paulo Coelho, uma frase aqui e outra lá adiante, posso criar uma idéia de algum fato que ele jamais escreveu, nem teve a intenção de falar. Antes de dizer que "Deus proibe a adoração de imagem de santos"... melhor é ler... em local algum diz isso na bíblia! Ele fala " não farás imagens para adora-las", e se referia ao carneiro de ouro, isto é, ele queria dizer aos judeus que não deveriam adorar animais, pois estas estátuas que ele se referia eram só de animais!!! Além de ler a bíblia, tenha a seu lado, um livro sobre história... assim cada trecho começa a fazer sentido. Não podemos andar feito cavalos com visores dirigidos. Temos que ter a mente aberta, e "ler" antes de afirmar!

Deise disse...

Outra coisa muito curiosa que li em Mateus... foi no momento em que Pedro pergunta a Jesus onde edificariam sua igreja ( ele queria saber o local e de que maneira física isto seria feito), e ele responde que a igreja não é feita de pedras e sim de homens... "onde um ou mais se reunirem ali estarei"... ele respondeu que não deveriam erguer templos físicos e sim qualquer lugar onde as pessoas se reunissem para rezar, ali estava formada a igreja... e continuou... "Pedro tu és a pedra fundamental"... ele afirmou novamente que a igreja é feita de almas, de fé... e não de pedras, tijolos, etc. E o curioso é que todas as religiões ergueram templos... se for levar ao pé da letra, posso afirmar que nenhuma religião seguiu de fato o que ele desejava. Mas afinal, nos templos, mosteiros ou igrejas as pessoas se reunem em seu nome... olhando sob esta interpretação... então é correto. Há trechos na bíblia que descrevem até incesto... que foi abençoado... se ler atentamente é um livro surpreendente!
E mais... o próprio Corão tem as mesmas passagens da bíblia...(só que se limita ao antigo testamento)
Deus pediu para Abraão pegar seu filho e leva-lo à um monte (Moriá), no meio do caminho Ele disse a Abraão que ele teria que sacrificar seu filho, e assim provaria sua fé,Porém, Abraão não hesitou em sacar uma adaga para mata-lo. O fato de Deus ter poupado a vida de Isaque mandando um anjo segurar o punho do Abraão ...e afinal pediu que ele sacrificasse um cordeiro. Tal fato na religião mulçumana foi interpretado com tanta importância que é uma data histórica e eles fazem jejum para comemorar, e no entanto na igreja católica, e na evangélica é apenas mais uma passagem na bíblia e nem é comemorada. Mas ambos falam em seus livros sagrados...

Anônimo disse...

É incrível como se fazem as maiores barbaridades "em nome" de Deus.
Estou passando pelo mesmo problema colegas, espero resolver em breve, seja de um jeito ou do outro. Já nos desgastamos de mais.

Anônimo disse...

É muito complicado o namoro e casamento entre católicos e evangélicos. Veja como seria quando vierem os filhos. Qual religião vocês iriam criar seus filhos? Nos dias de culto/missa, cada um vai para um lado. Por isso, veja no link o artigo que mostra as distinções entre católicos e evangélicos que causam conflitos (quase sem excessões) no futuro:
gotquestions.org/portugues/catolico-cristao.html

Anônimo disse...

A paz, acabei de discutir com meu namorado sobre isso e acabei encontrando esse blog. Tenho 17 anos e des dos 12 anos sou evangélica. Namoro faz 4 meses e meu namorado é Católico, ele era até Catequistas uns tempos atras, mas a família dele toda é evangélica e o maior sonho deles e o MEU é ver ele na igreja, mas parece ser tão difícil :/, eu quero muito me batizar que até hoje nao tive coragem, pois tenho mto medo, afinal Batismo é coisa SÉRISSIMA!! e ele nao entende isso, ele fala que se quero me firmar na igreja eu tenho que mudar muitas coisas, ele quer que eu mude muita coisa, tipow, ele me perguntou assim "você abriria mão do nosso amor por causa da sua igreja" eu respondi pra ele nao fazer eu escolher entre ele e Deus. mas ele nao entende... ele fala que eu nao sigo a Deus, fala que eu sigo as 'doutrinas' da igreja. Que servir á Deus é coisa do coração... Olhaa é muito Dificil manter um relacionamento com um NÃO cristão, mas acredito que nao seja impossivel... Porque o Deus que eu Sirvo, é o DEUS DO IMPOSSIVEL, e ele vai mudar o meu namorado pra mim, eu por amar ele, e Deus por me amar, vai atender esse desejo do meu coração... mas é dificil ;/

Anônimo disse...

Com Cristo e seu povo tudo e possivel...
Eu tbem estou noiva de um jovem ao contrario de ti eu sou Catolica e ele com a sua familia toda sao Envagelicos... qdo conheci ele estava perdido nas coisas da Juventude como o mundo diz, ele bebia mto e estava mesmo distante da igreja e da presenca de Deus e nem era baptizado... Eu me apaixonei por ele, mais nao podia ficar com ele por ser evangelico e mundano ao mesmo tempo, ele acredita em Deus, e um rapaz humilde, querido por todos , inteligente, estudante universitario e trabalhador, mais caia sempre nas noites e bebia mto. Ja eu tinha cargos na Igreja, E tinha Jesus como meu alicerse a seguir,Resumindo eu tinha a missao de mostrar ao meu noivo q estava perdido que tinha que aceitar Jesus como seu Senhor e Salvador, e voltar nas maos de Deus... Foi mto dificel, pq ate no principio cria que ele fosse baptizado na Igreja Catolica ja que ele nao ia mesmo na igreja dele, mais foi dificel, visto que ele defendia que na Catolica nao era o lugar ideal para sua conversao. Eu nao briguei com ele pq p mim o importante nao e a igreja mais sim o nosso coracao, a salvacao... Com a graca de Deus hoje ele e convertido e baptizado na na sua igreja... me sentir mto feliz porque conseguir tirar alguem perdido nao importa se foi baptizado na Catolica ou na Baptista mais sim em receber Jesus como se Senhor e Salvador. Nos vamos casa dentro de 10 meses na Igreja Catolica depois passo a frequentar a igreja dele... Pq temos q professar apenas uma fe por causa dos nossos filhos. Eu nao me importo em ir na Igreja Baptista porque o Deus e so um na Catolica e Na Baptista, nao saiu da minha igreja porque descobri a verdade em outra, mais sim porque como esposa tenho a obrigacao e dever de seguir o meu marido... Sou Feliz porque amo e sou amada conforme sou... A minha relacao e uma bencao... Dou Gracas a Deus por isso... COM CRISTO TUDO E POSSIVEL... SHALOOM

L.P. Faustini disse...

Querida anônima,

Muito obrigado pelo seu depoimento. Que seu casamento crie frutos não só dentro de sua família, mas que sirva de exemplo para milhares de pessoas que passam por esta dificuldade.

A paz!

Anônimo disse...

Oi meu nome é sanches,preciso de uma ajuda,a mãe da minha namorada naum aceita o nosso namoro;porq eu sou católico e ela evangélica..juda ai PF

L.P. Faustini disse...

Ei Sanches,

Você pode falar comigo através do e-mail que deixo aqui no meu perfil. Ou deixe seu depoimento. Muitas pessoas vem aqui visitar o blog e elas também podem te ajudar com seus testemunhos.

A paz!

Anônimo disse...

estou passando por essa situação. sou católica e o meu namorado é tão evangelico que quer até ser pastor.eu estou aberta a aprender coisas com ele. so que ele é totalmente fechado e acha q jesus so salva evangelico e q os catolicos estao todos condenados ao fogo do inferno. eu gosto muito dele, mas ja naum sei o que faço. naum quero deixar a eucaristia. seguimos o mesmo DEUS so que ele naum entende isso.

Falando de muita coisa disse...

Esqueçam dos evangélicos. Seguem a Lutero, na raíz, que foi quem provocou a grande divisão na Igreja de Cristo. Reforma Protestante, oras...Quando eu roformo minha casa eu conserto o que está ruim e não divido. O que Lutero fez foi dividir a obra de Deus, sendo o novo Adão. Então não existe reforma Protestante. Existe racha, cisma, etc...Mas lembrem-se: as portas do Inferno não prevalecerão sobre e Igreja de Cristo, e esta Igreja é a Igreja Católica. Não deixem sua fé por causa de alguém, amem primeiramente a Deus e tudo o mais vos será acrescentado. Amém.

Max disse...

Graça E paz, Sou Cristão, nasci no evangelio e des de pequeno, eu consigo ver e sentir coisas,que muitas pessoas já me chamaram de louco, eu a uma certa idade entrei em uma igreja católica, E oque eu senti, foi algo que me assustou muito"e espero que ninguem nunca sinta isso", hoje em dia cresci, amadureci muito, e Tenho varios amigos Catolicos, Que Agradeço a Deus, pela amizade que tenho com eles,essa amizade me faz aprender um pouco mais sobre a (doutrina) que a igreja catolica ensina, tem muitas coisas, que entra em conflito com a biblia, e isso qualquer um Cristão, que busque entendimento na biblia consegue enchergar, sem ajuda de nenhum pastor ou lider espiritual, e a questão de relacionamento é algo muito complexo, pq todos nos somos donos de nossos caminhos, as vezes um desejo nos leva para uma tristesa, uma eterna solidão

ae eu pergunto. Deus quer o melhor para nós, e quando um casamento vira um Inferno pq começa a ver intrigas entre o casal por circunstancia que um quer saber mais do que o outro? Isso é pq Deus deixa, ou pq vc quiz guiar seus passos, sem pedir o concentimento do pai. Em proverbios fala que alguns caminhos para o Homem são reto em sua visão mais no final leva para caminhos de morte.

e entre mil e um contesto, todas minhas duvidas, todas minhas resposta eu nao peso concelho a um pastor,a um líder, a algum amigo, ajoelho e peso a papai do céu, então não vejo pq, ficar querendo jugar um ao outro, para no final não sermos julgados,Não devemos criar contendas,e entre mil e uma coisa. pq Deus não esta intessado em quem sabe mais ou quem sabe menos, pq ele capacita os seus, Ele está enteressado não na Igreja Local, ou no maior tempo que o homem possa construir pois fomos salvos pela Graça de Deus.

e Igreja Somos nós casa e morada do espirito Santo.

Igor Dias disse...

Amigos,Estou passando por essa provação! Mais com fé em DEUS ele vai prova a minha namorada que o Amor que ele uniu Rotulo nenhum apaga! Pois eu á amo e quero ser feliz com ela em nome do senhor.Sou católico e ela Evangélica os amigos dela disseram que não era certo ela continua comigo pois eram doutrinas diferentes.Pois bem ela termino comigo,E falo só volto pra você se você aceita a minha igreja pois la você aceita Jesus verdadeiramente.Pois bem falei para ela DEUS não e um só? E falei mais Minha religião e DEUS e aprendo a seguir o caminho dele na igreja católica.Muito obrigado Faustine,Esclareceu muito para min. E se DEUS quiser vamos ser muito feliz,Pois eu não vou desistir e não vou deixar que As pessoas que se dizem ser as certas acabem com o MEU amor.Pois meu namoro e a preparação pro casamento e não importa a religião importa que possamos aprender o que DEUS que nos ensinar SEM ROTULOS pois ele não salva pela religião e sim pelas OBRAS. Que DEUS ABENÇOE a TODOS vocês e que todos sejam muito felizes em NOME DE JESUS. AMÉM!

Marcos. disse...

Paz do senhor a todos os irmãos e irmãs da WEB.Sou evangélico estou estudando para ser pastor da igreja Batista.Minha opinião é a seguinte, Quando se casa com pensamentos diferentes vão ter varias divergências.Que ocasionarão brigas! Então e melhor procura uma pessoa da sua comunidade.Mas não falo que seja proibido casar com outra pessoa de religião cristã.Pois mesmo minha igreja pregando de uma forma diferente, penso que quando a amor deus ensina o caminho para a gloria.Paz do senhor a todos.

Camila Furtado. disse...

Olá.Só tenho uma coisa á dizer!Religião só vai atrapalhar um relacionamento cristão se não existir amor.Pois quando se ama niguem pode derrubar o amor que Deus uniu nem barreiras religiosas pois Jesus não tinha religião.

Anônimo disse...

É nós católicos somos todos pecadores né. Mas realmente eu não sei se é mais pecado ser católico como afirmaram em alguns comentários aí, ou julgar e ser intolerante a opção do outro.A má interpretação da bíblia por pessoas que acordam de hoje para amanhã e se julgam pastores, é que não possuem o ensinamento necessário para interpretar e distribuiem conceitos errados por todo o lado. Será que realmente é pecado, acreditar na mulher que foi escolhida por Deus, para gerar o seu filho? Ela não é uma santa? Não, segundo alguns deve ser qualquer pessoa que não merece respeito né... Como dizeram aí. Mais do que religião o que falta é educação. Aceitar o outro como ele é. Você conhece uma pessoa e depois quer moldá-la ao seu gosto. Sinto lhe dizer querida(o), mas é mais fácil comprar um boneco. Coitado de quem passa por isso. Porque as mudanças não serão exigidas apenas na religião, mas sim em outros conceitos de sua vida. A religião é a apenas o começa, para toda a desgraça.
Parabéns ao criador do blog. Achei sua visão muito respeitadora, inteligente, informativa e baseado em fatos cuidadosamente pesquisados. Isso sim é dar opinião de forma neutra, cautelosa e educada.

Anônimo disse...

Nossa, adorei seu post! O que melhor abordou esse assunto, até agora. Estava muito angustiado por causa disso, eu sou católico e minha namorada é evangélica. Nos damos muito bem, nós nos respeitamos muito. Mas essa semana conversamos sobre isso, se um dia nossa religião ia nos separar, pq nenhum de nós dois está disposto a trocar. Parabéns, ótimo texto.

L.P. Faustini disse...

Max, Marcos e Camila: sábias palavras!
Igor: Que Deus te ilumine!
Anônimos: Fico muito agradecido!

A paz a todos vocês!

Anônimo disse...

olá gostei do seu texto foi muito bem mais me esclarece uma coisa.Eu sou católico e estou gostando de uma evagelica da assembléia, e esse amor e reciproco estamos esperando o momento certo para namorar, se caso namorarmos e tudo de certo como nos vamos nos casa no religioso sendo que eu não vou aceitar me casar na igreja evangelica e ela não vai aceitar se casar na catolica ?

Daniel - Silene - Catarina - Samuel disse...

Olá,

Gostei muito deste Blog. Sou católica e o meu marido é evangélico. Namorámos 7 anos antes de casar. Os primeiros 3 anos ele era ateu e depois conheceu Jesus numa Igreja Católica na Índia e batizou-se numa Igreja Evangélica Pentecostal ainda na Índia. Quando voltou as questões entre nós foram muitas por causa da intolerância dele pelas minhas convicções. Rompemos o noivado a três meses do casamento, pois percebi que o amor de Deus por mim era imenso e como meu Pai deu-me força para me separar do homem que amava pois a sua falta de respeito estavam a impedir-me de ser feliz. Estivemos separados dois anos e foi um tempo difícil mas ao mesmo tempo maravilhoso em que Deus me levou pela mão e me susteve. Não tive medo de acreditar no seu amor.Quando Deus nos diz para o amar-mos acima de todas as coisas é porque realmente é único caminho de felicidade. Mas não são palavras que excluem os outros, pelo contrário, só podemos amar os outros de verdade e a nós mesmos quando somos capazes de dar o salto para o que não vemos porque estamos seguros que Ele nos ama e zela por nós. Encontrámo-nos dois anos depois e tudo aquilo que nos separava ruiu. Continuámos cada um a ser fiel à Igreja que o seu coração e o seu entendimento elegeu mas o passámos a aceitar a igreja do outro. A questão e mais do que teológica ou de ver avaliar os argumentos de uma igreja ou de outra, a questão entre estes casais é muito mais emocional. Acho que o maior problema é que no fundo a pessoa que nós mais amamos, com a sua divergência de convicções, coloca ela própria em causa aquilo que a outra mais profundamente acredita e e se a pessoa não for suficientemente madura não consegue ultrapassar esse confronto e sente-se ameaçada na sua identidade. Jesus liberta-nos da necessidade de todas essas seguranças e a função das Igrejas é ajudarem os crentes nessa caminhada de libertação de tudo o que nos prende de amarmos radicalmente e genuinamente o próximo. O caminho não é fácil mas Jesus não prometeu facilidades, mas prometeu a plenitude da felicidade. Ninguem chega ao Pai senão por Ele e Ele disse para pegarmos na nossa cruz...Actualmente temos dois filhos com 7 e oito anos. Frequentamos juntos as duas igrejas. Em Portugal a Igreja Católica recebe com alegria e respeito os membros de outras Igrejas mas no mundo evangélico, que tem pouco mais de meio século no país, ainda não é bem assim. Contudo tem sido uma experiência de enriquecimento mutuo maravilhosa. Posso dizer que me sinto um membro da igreja do meu marido e tenho uma profunda relação de amizade e até de irmandade com os pastores e com os membros da Igreja e da parte deles existe respeito por mim que se nota até nos cultos nas referências respeitosas que fazem à Igreja Católica. O caminho faz-se caminhando. Existe uma Associação Internacional de vários anos para casais cristãos de denominações diferentes que frequentam ambas as igrejas. Chama-se Interchurch Families. Vale a pena ver têm vários textos sobre a questão dos filhos e outras. Só mais um apontamento. Os cristãos, sejam eles evangélicos, católicos, ortodoxos ou outros, pertencem à mesma religião, o cristianismo. Assim, nem sequer nos separa a religião mas apenas a Igreja que frequentamos. Que todos sejamos um para que o mundo acredite...
Saudações Silene

Diogo Santos Ortiz Correa disse...

Hey, bacana seu post, cara. Valeu!
Fique com Deus.

Francine disse...

Olá, muito bom o que vc escreveu, estou passando por esse problema e vejo q isso q esta acontecendo comigo é mais comum do q eu pensava.
Estou sem saber o q fazer, perdida.
Me pergunto se essas pessoas preconceituosas nao enxergam q o Deus é um só e q é a FÉ q salva e nao uma denominaçao religiosa.
Adorei seu texto e me identifico muito com o q vc passou pois está acontecendo a mesma coisa comigo.

Silene disse...

Olá Francine,
Na missa de domingo o padre disse uma coisa que muita vez nos esquecemos que "fé é acreditar mesmo quando não se vê", por isso é que o caminho que Deus nos propõe exige muito de nós, só o podemos percorrer se confiarmos em Nele e na Sua palavra. Segue sempre o que sentes no teu coração mesmo que pareça que não suportas mais ou que não vejas o caminho. O caminho que Jesus escolheu é humanamente um absurdo, deixar-se crucificar. Eu tenho 37 anos e à medida que vou vivendo cada vez estou mais certa que a plenitude do amor que Jesus prometeu a quem o seguisse e a construção do reino de Deus já aqui na terra só se constroi assim, a amar como Jesus ensinou a mar, com frontalidade,com honestidade, perante nós e perante os outros, com coragem, com confiança e obediência a Deus e a aceitar a dor quando é esse o nosso caminho. Quando parece impossivel confiar porque não estamos sozinhos, nós fazemos a nossa parte, oferecemos os pães e peixes que temos a Deus e se for da sua vontade Ele fará o resto. A vida vivida assim não quer dizer que não doa muitas vezes ou que não se tenha dúvidas mas dando sempre o passo de se entregar à vontade de Deus, é maravilhosa, é mesmo uma aventura é tem-se realmente a plenitude da felicidade porque se vive em verdade e recebe-se o cêntuplo daquilo que se deu. Vou rezar por ti e pela tua relação. Vai ver o site das Interchurchs families. Também existe uma comunidade ecuménica em Franca espectacular. Temos ido lá algumas vezes em família chama-se comunidade de Taizé. O irmão David é português. Tem muita experiência no diálogo ecuménico. Podes enviar-lhe um mail. Que Deus te dê a mão nesse caminho e te leve ao colo quando não tiveres forças para caminhar. Silene

Anônimo disse...

Católicos ou Evangélicos

Desculpem se haver alguma palavra mal colocada

É lamentável como ambos, (na maioria evangélicos, porque convivo com os dois lados ao meu redor, e apenas digo o que vivencio), se preocupam mais em acusar as doutrinas um do outro, com essa baboseira de conversão (sim baboseira, existe um só Deus para ambos, então não ha o lado errado de seguir), do que se preocupam em praticar o bem, e aceitar o próximo na felicidade ou na tristeza. Ha sim católicos que confundem o sentido das imagens e acabam idolatrando, da mesma forma que ha evangélicos que fumam e tomam bebidas alcoolicas. Oras, todos nós sabemos q as imagens estão lá de inspiração, para que vc lembre do bem q tal santo fez e vc possa fazer como ele, e em contrapartida, ha evangelicos que se dizem sensatos, mas não passam de egoístas e preconceituosos. NÃO É A IGREJA QUE VAI UNIR OU SEPARAR VOCÊS, OU FAZER DAR CERTO E SIM VOSSAS FÉS!. Pois a igreja é apenas para celebrar cristo! Mas sempre tem os que realmente fazem isso, e os que vão só por ir, tanto em uma como na outra.

Então se seu parceiro (a) é daqueles que praticam a religião, nunca, jamais ouse a querer converte-lo (a), pois você estará fazendo um pré julgamento, e o único que pode julgar é Deus.

Agora se seu parceiro é daqueles que diz ser algo e não pratica, o que você pode fazer é apresentar o seu lado, a sua visão de Deus para que ele possa decidir que caminho escolher, pois Deus deu o livre arbítrio e o humano não pode interferir na vida de outra pessoa, como se fizesse uma lavagem cerebral, na maioria das vezes.

Anônimo disse...

apenas retificando

Então se seu parceiro (a) é daqueles que praticam a religião, nunca, jamais ouse a querer "converte-lo" (a),para o seu lado(tanto católica como evangélica) pois você estará fazendo um pré julgamento, e o único que pode julgar é Deus.

Anônimo disse...

boa tarde, como todos passo pela mesma situação comecei a frequentar a igreja evangelica a 5 anos aproximadamente, fui em varias e ainda não sou batizada,meu namorado é católico devoto de Maria, ou seja nossas crenças não batem mas amo muito ele em relação ao casamento ele diz que não liga de ser realizado a cerimonia na igreja evangelica o detalhe é que a igreja que eu ia não aceita o casamento com pessoas de outra religião, me falaram que á igrejas que aceitam, gostaria de saber de uma que aceitar para poder me batizar e frequentar como eu tanto desejo e ao mesmo tempo não precise abrir mão do meu amor por esse preconceito, se alguém puder me ajudar,

L.P. Faustini disse...

Anônimo 1: Já pensou em casar fora da igreja, na presença de um pastor e um padre, em um lindo jardim na beira da prai?

Daniel-Silene-Catarina-Samuel: Linda mensagem. Que Deus vos abençoe plenamente.

Diogo: obrigado meu camarada. A paz!

Francine: esta reflexão é apenas o início de sua jornada para adorar a Deus em espírito e verdade.

Silene: ótimas informações. Muito obrigado!

Anônimo 2: Muito boa a explicação. A paz!

Anônimo 3: Prezada irmã, na minha opinião, igrejas evangélicas que não aceitam casamentos com católicos, pregam acima de tudo, a intolerância religiosa e o preconceito, e não a palavra de Deus em sua essência. Eu fugiria delas. E procuraria alguma igreja que tenha alguma tolerância. Existem muitas igrejas evangélicas que aceitam o casamento com um católico, mas você deve procurar. Boa sorte e que Deus abençoe sua escolha. A paz!

Anônimo disse...

"(CONTINUAÇÃO)
Meu noivo disse que,como não abre mão do sacramento, só casa na Igreja Católica, nem na Evangélica e nem em um lugar neutro. E que tem mais um "detalhezinho": para isso, eu tenho que fazer um juramento, diante do padre DELE, que não vou levar meus filhos comigo para a escola bíblica, da minha Igreja (evangélica), porque os filhos do católico só podem ser criados na fé católica"


Ora isso é RIDÍCULO! Já fui católico, até que me converti (hj frequento a igreja evangélica). Não me considero evangélico, mas CRISTÃO. Porque quando era católico, não era cristão, fazia as coisas por obrigação e vivia uma vida infeliz. Namoro há um ano, minha namorada é católica, eu cristão. COncordei em me casar na igreja católica (ela disse que os pais dela não iriam ao casamento se fosse numa Igreja Evangélica, o que achei um absurdo,mas enfim...), com a condição de que não houvesse imagens em nossa futura casa, e que eu iria ensinar nossos filhos de acordo com a Palavra de Deus, pois se eu agisse de outra forma, como sacerdote do lar, o Senhor cobraria de mim. Não posso ensinar meus filhos a adorarem imagens, prostrarem -se diante delas, acender velas e acreditar em "santos", pois santos qualquer um de nós pode ser, mas SENHOR é um só, JESUS CRISTO. "Eu sou o Senhor, este é meu nome. A minha glória a outrem não darei, nem meu louvor às imagens de escultura(ISAÍAS 42:8)". JESUS CRISTO é nosso único intercessor: "Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, JESUS CRISTO homem"(I TIMÓTEO 2:5). Desta forma, se acreditarmos em "santos", depositando nossa confiança neles, de que serviria o sacrifício do MESTRE? Homens são FALHOS, mas Deus e sua palavra não. Devemos confiar somente na Bíblia e em Cristo. (maldito o homem que confia no homem - JEREMIAS 17:5). Jamais ensinarei a meus filhos uma mentira, ensiná-los-ei de acordo com a Bíblia Sagrada. Só gostaria de dar um conselho a vocês, de quem um dia foi católico. Irmãos católicos, LEIAM A BÍBLIA (especialmente ÊXODO 20:4), e por favor, acreditem em DEUS e não nos homens, e se falarem a vocês que pau é pedra, não interessa se for padre ou pastor, antes de acreditar no que ele diz, procure na BÍBLIA, pois ela contém toda a verdade, diferentemente dos homens, que são falhos ("Examinais as Escrituras, pois são elas que de mim testificam" - JOÃO 5:39). Deus abençoe a todos!

Elisangelo

Silene disse...

Olá Anónimo,

Em resposta ao teu último post, queria dizer-te que não é verdade que não possas levar os teus filhos à escola dominical. Eu vou procurar os documentos que me foram dados na altura que eu me casei. Os padres e os pastores são homens e estão também a caminho. Nós somos também a Igreja, as pedras vivas da Igreja de Deus. Procura falar com vários padres e pastores sobre o assunto. Este é um caminho novo, nem todas as pessoas na Igreja, tanto numa como na outra têm as informações ou a sensibilidade para vos ajudarem.A nossa experiência e a nossa busca de resposta também obriga os responsáveis das Igrejas a pensarem sobre o assunto e a buscarem a Deus para perceberem qual é a sua vontade. Mesmo que te dêem uma resposta de separação acredito que essa não é a vontade de Deus e dentro deles fica uma inquietude que os vais fazendo mudar. Eu já vi isso tanto em pastores como em padres. A nossa experiência abre caminhos. Deus vos abençoe. Silene

Anônimo disse...

Estou mt mal com relação a essas diversidades de religiões. Tenho 14 anos e nunca me vi nessa situação antes. Amo muito um rapaz, eu sou católica e ele evangélico, ele respeita a minha religião e eu a dele, porém a mãe dele não aceita de forma alguma, pois acha que devo seguir a religião deles, mas que a única forma de dar certo é que eu me converta à religião evangélica, ela disse que não terá como pq eu sou batizada na igreja católica, sou praticante e ela(mãe dele) diz que se eu me converter será por ele e não por Deus. Não sei o que eu faço, já tentei gostar de outras pessoas, mas no meu ponto de vista, quem gosta pode desgostar, mas quem ama não desama,e eu o amo, ele também me ama, mas ele não quer desrrespeitar sua mãe, estar bem comigo e mal com ela, eu concordo e apoio o modo de pensar dele. O problema é: o que e eu faço? Espero uma resposta(se puder manda para o e-mail: samara_correia15@hotmail.com). Obrigada pela atenção, fica com Deus!

Daniele disse...

Seu texto é excelente,estou passando pela mesma situação que todos comentaram, eu sou evangélica e namoro um rapaz que é católico há 4 anos, agora surgiu o assunto de casamento,ele quer que eu case na igreja católica e não sei como resolver isso, sou evangélica desde que eu nasci, minha família toda é evangélica e não sei o que fazer eu preciso de ajuda..

Luana Ramos disse...

Olá,
por uma curiosidade quis saber sobre relacionamentos entre pessoas de religiões distintas,então encontrei seu blog e adorei seu texto. Meu caso é o seguinte: sou católica praticante e boa parte da minha família também é. Há alguns meses eu comecei a namorar um rapaz evangélico pentecostal. Seus pais são pastores da igreja dele e a maior parte de sua família é evangélica. Por enquanto não está havendo problema algum sobre nosso relacionamento,porque para ele não importa a religião e nem para mim,porém minha sogra quer que eu me converta para sua religião. Já frequento os cultos em sua igreja e me sinto bem,ele também já me acompanhou na minha igreja e gostou. A minha dúvida consiste no casamento,porque desconsidero a possibilidade dele se tornar católico. Eu prezo muito minha religião e também me sinto bem frequentando a igreja dele. Seria possível eu me casar com ele sendo nós dois de religiões diferentes? Ou você acha que então eu deveria me converter para a religião dele? Parabéns pelo blog.

SPGonçalves disse...

Vocês podem fazer um casamento católico misto uma vez que pertencem à mesma religião, cristianismo, mas pertencem a igrejas diferentes. O casamento católico misto é possível sendo os dois batizados. A igreja católica reconhece como válido o batismo feito em igrejas protestantes desde que essa igreja seja reconhecida pela comunidade protestante, em Portugal esse reconhecimento é feito pela Aliança evangélica.A parte não católica tem de aceitar educar os filhos na igreja católica. No nosso caso decidimos que frequentaríamos as duas igrejas e os nosso filhos também, o que nem sempre é fácil...mas é o nosso caminho. Devem respeitar a crença um do outro. Para nos amarmos não temos de ser iguais. Amar é também respeitar a diferença do outro e ajudá-lo a ser feliz no seu caminho.Não acredito que alguém possa ser feliz se se anular, se anular aquilo que é e em que acredita para ficar com outra pessoa. A relação começa numa mentira, mais tarde ou mais cedo a pessoa que se anulou vai-se sentir desrespeitada e perdida. O mandamento é amar os outros como a nós mesmos...O meu conselho é procurar um padre e/ou um pastor que entenda o vosso sofrimento e vos ajude a encontrar paz no vosso caminho. Para mim as igrejas cristãs separadas são como irmãos que não vivem no amor da família e andam de costas voltadas uns para os outros. Deus Pai deve sofrer imenso com esta falta de unidade da sua família. Estas famílias que nascem neste amor profundo entre um homem e uma mulher cristãos de igrejas diferentes, vão construindo com a sua carne, com o seu amor, com as suas alegrias e dores a unidade que se perdeu. A paz de Jesus fique convosco.

fadeole@hotmail.com disse...

Sou Católico praticante, e meus melhores amigos são Evangélicos. Só Deus pode explicar isto!

L.P. Faustini disse...

Ei Daniele e Luana,

Como vão vocês? Espero que bem. Olha, o que eu iria falar, nosso nobre irmão SPGonçalves respondeu muito melhor do que eu poderia respondê-las. À SPGonçalves, muitíssimo obrigado. A paz a todos.

Luana Ramos disse...

SPGonçalves e Faustini,
realmente gostei da resposta de SPGonçalves.. fiz a pergunta por uma dúvida, mas nosso relacionamento ainda está recente e provavelmente nosso casamento venha a ser daqui 2 anos ou mais.. obrigada pela atenção. E continuarei visitando o blog, porque gostei muito.
'Fiquem com Deus =D

Unknown disse...

Faustini, boa tarde!
Palavras abençoadas escritas por você neste blog. Sou católico e minha namorada evangélica. Completamos 1 ano de namoro e o fato de sermos de igrejas diferentes nunca nos atrapalhou em nada, pelo fato de existir respeito entre nós. Sempre conversamos muito sobre Deus (lembre-se não sobre igreja) e concordamos e aprendemos muito um com o outro, sempre respeitando as crenças de cada, até mesmo quando achamos errado. Minha namorada e eu nos amamos, e conhecemos o caráter de cada um, sabemos como um é especial para o outro e entendemos que mesmo sendo de igrejas diferentes o Deus ao qual damos honra é o mesmo. Temos absoluta certeza que o Senhor abençoa o nosso relacionamento, pois já obtivemos diversas provas disso, e a nossa família também aprova.
Eu já tive dois relacionamentos com pessoas da minha igreja, inclusive uma pessoa que era do mesmo grupo de jovens que eu participava, e sinceramente me decepcionei tanto com essas pessoas que preferia nunca ter conhecido. Minha namorada também teve um relacionamento com uma pessoa da sua igreja, que era sucessor de um pastor, e segundo ela foi a maior decepção de sua vida. Isso nos mostra como que esse “conceito” de que um relacionamento só poderá dar certo se forem na mesma igreja é errado.
Diferenças sempre vão existir, porém o amor e o respeito têm que ser maior que essas diferenças.
Paz de Cristo

daniel disse...

oi bença estou pasando pelo seu mesmo problema mas é ao comtrario minha namorada é que ainda não é cristã olha eu toda sua hostoria e as reflequiçoes um bença isso mim mostrou que nada para Deus é inposivel
minha namorada não é cristã e meu pais não gostão dela nem toda minha familha e meu amigos da igreja só fasem sonbar de min disendo que sou burro por perder tempo com ela mas eu não vejo assim eu pensso com jesus que quando as pesoas querião apedrejar aquela mulher que aduterou eu não deixou que a matasem pois todos erão pecadores como ela a unica pessoa que poderia codenar ela era esuas mas ele não á comdenou ele a perdoou
eu espero que tudo de serto comigo e com ela pesso oraçoes suas meu

(msn te-amo-jesus_@hotmail.com)

pra falar comigo valeu bença que Deus comtinue lhe abençoado amem

Bru disse...

Sou católica e meu namorado evangélico, e a gente conversa muito sobre nosso futuro e estamos passando por maus bocados pq ele ñ abre mão da igreja evangélica(mesmo ñ frequentando certinho) e nem eu da igreja católica por N motivos.Apesar de deus ser 1 só, nossas crenças são diferentes; tenho medo de estar perdendo tempo... ele sonha em casar e ter filhos + como fazer isso? casar em 2 religiões? e como criar os filhos em 2 religiões diferentes? E pior q ele mudou de religião por causa da ex namorada e isso piora muito o caso...:(

gilmar disse...

Muito boa sua palavra que Deus continue te abeçoando .
Já namoro a 5 anos e tenho 2 anos que me converti.
Sou evangélico e ela católica
quando aceitei a cristo ja namorava com ela.precizo de uma opinião..
a paz do senhor..

josy disse...

Olaa, Gostei muito de sua publicaçao. E me indentifiquei com algumas palavras. Namoro com um catolico, até entao nao tneho nenhum preconceito e nem o julgo, gosto muito dele e a minha intençao é constituir uma vida com ele. Mas a minha familia por serem todos cristao, inclusive eu, nao concordam e dizem que eu estou fazendo o tal " Julgo desigual " nao gosto quando eles falam isso. Recentemente ocorreu uma situaçao desagradaveu para mim e para ele, que fomos obrigado pela minha mãe para ir a igreja, e com isso ele se sentiu ofendido. Consequencia disso ele disse na minha cara que nao ia se converter, e se eu aceitava ele mesmo assim, disse que sim, pois o amo e tenho fé que Jesus pode converter coraçoes, e espero com pasciencia no Senhor! Gostaria de uma opiniao sua, sobre esse caso. Muito obrigada.

Caio Felipe disse...

Bom, gostei muito da postagem. tirou algumas duvidas que existiam meu minha cabeça, pois namoro uma mulher Evangelica e eu sou catolico. Tudo esta indo beim, mais sempre existem pessoas para dar opnioes em nossas vidas e isso acaba em desconforto. Se puder entre em contanto comigo. Gostaria muito de tirar mais informaçoes msn: caio.holanda@oi.com.br Abraços!

Poetiza na Janela disse...

Ola , nossa que texto, maravilhoso gostei muito , atualmente estou sendo muito rejeitada por namorar um católico.
annamolly147@hotmail.com

Anônimo disse...

PARTE 1

Saudações, Faustini

Antes de mais nada, digo que realmente é possível encontrarmos zilhões de coisas e informações na Internet, mas eu nunca imaginei que pudesse encontrar uma matéria sobre um assunto tão, tão, tão conflitante, que envolve um dos fatores mais difíceis na vida das pessoas, que é sobre os sentimentos de homens e mulheres a respeito de diferenças de fé, crenças e doutrinas. Parabéns, Faustini, por trazer assunto tão delicado para que homens e mulheres sejam ajudados, porque é algo que, se a Igreja e seus líderes não estão antenados no sentido de dar um grande suporte aos casais que se amam, mas que passam por certos entraves, como do que foi o assunto do presente texto. Eu acredito que seria muito importante que mais blogueiros, como vc, deveria passar esta ajúda para que amor e convicções de fé andem juntos para que os relacionamentos realmente tenham futuro, porque é muito duro alguns dos relatos que li, onde um lado ama e o outro está confuso, em grande parte das vezes por conta das diferenças que parecem ser intolerantes e de difíceis soluções.

Meu nome é Edson e tenho 42 anos. Bom, eu nunca pensei em participar de um blog sobre o presente assunto, e, caso vc possa responder sobre o que eu vou relatar, Faustini, já que o texto é de 2009, mas, mesmo assim, muita gente ainda continua encontrando este texto pra falar sobre o assunto em questão. Pra mim, é muito difícil falar sobre emoções, principalmente entre casais, pois não estou em um relacionamento afetivo já faz uns 5, 6 anos, pelo menos e, acredite ou não, eu nunca cheguei nem perto de ficar noivo de uma mulher, porque eu tive alguns relacionamentos, mas que eu não sobre conduzir bem, em boa parte por conta de que as minhas escolhas não foram as melhores, por pura falta de maturidade, que ainda se reflete hoje em dia. Com menor intensidade, claro, a ponto de estar escrevendo esta mensagem. Entre 1993 e 1995, eu fiz parte de uma Igreja Batista, em São Paulo, sendo o meu primeiro contato com o cristianismo, mas que eu acabei não seguindo pela mesma falta de maturidade de vida. Anteriormente, e digo infância e adolescência, minha vida foi com experiências absolutamente desagradáveis, culminando com a separação dos meus pais, quando eu tinha 10 anos, mas o meu pai sempre foi esforçado em fazer o possível para me criar, mas a minha mãe parecia sempre odiar o meu pai, desde que quando tentei entender alguma coisa sobre o que acontecia em minha casa, em minha família. Resumindo: eu nunca tive uma referência de família, a ponto de ter coragem para ir em busca de namorar e me casar com a mulher com quem eu realmente podia compartilhar a minha vida. Eu acredito que eu poderia ter tido uma grande chance de estar casado com uma jovem que era da mesma Igreja que eu pertencia e que eu fui batizado nas águas e tudo mais, mas, em parte, por pura falta de maturidade e de referências (repito), só que eu também não tive um claro suporte desta Igreja específica. É a minha opinião. Só tenho que ter a sensibilidade de não ser tão injusto com a Igreja, pois, como sempre diz o Pastor Silas Malafaia, no qual eu admiro pela forma de como ele orienta sobre os coisas do cristianismo e do dia-a-dia na nossa sociedade como jamais vi dentre os líderes evangélicos, a Igreja é de Cristo e não se deve tocar nela, apesar das falhas das pessoas que formam o corpo de Cristo, que, como seres humanos, não são perfeitos. Somente Deus é. Bom, está mais que na hora de adiantar sobre o assunto, não? (CONTINUA)

Anônimo disse...

PARTE 2

E adianto em mais de 20 anos. Até o último domingo, dia 06/Maio/2012, por alguns meses, eu estive inscrito em sites de relacionamento, como Badoo, Quepasa, Hi5 e outros para, a princípio, buscar amizades com as mulheres para, quem sabe, de repente, chegar a algo mais sólido, mas, é claro, sem conseguir sucesso na estratégia. Bom, de repente, eu abandonei todos os perfis em que eu estava inscrito. Tentarei ser breve: eu já sabia dos riscos que se há em amizades e/ou que chegam a relacionamentos mais sérios. No entanto, em um dos sites, eu comecei uma extensa conversa amistosa com uma mulher, que tem 43 anos, uma idade próxima à minha. A conversa iniciou no sábado à noite, por longas duas horas e meia, e por outras duas horas no domingo. Ela parecia ser uma mulher sensível (até demais), dizia que era tão tímida, mas tão tímida, a ponto de dizer que nunca havia viajado na vida, mesmo em praias próximas, por conta de sua timidez e complexos. Ela ainda sente a perda do pai, ocorrida a mais de 10 anos, na única tentativa de se casar, ela havia sido enganada pelo rapaz, que estava noivo, por isso, ela estava solteira até hoje e que a única intenção dela é de somar amizades, segundo ela falou. A conversa foi tão boa, com trocas intensas de emoções e sentimentos a respeito de nossas vidas, inclusive sobre o fato de como ela era discriminada por ter feito a opção de ficar solteira até hoje, e eu disse que era um absurdo a forma com que as pessoas tinham esse tipo de preconceito, e tudo mais. Pois bem, eu fiquei com tanto medo de pedir a ela que pudesse conversar com ela pessoalmente para preservá-la e por receio de levar um não, por causa do grande medo e timidez dela que isto me afetou e eu acabei por desistir desta amizade, por pedir perdão por não seguir, que ela era especial, mas parei por aí. Depois disto, quis me excluir de todos estes sites. (CONTINUA)

Anônimo disse...

PARTE 3

Pra finalizar, Faustini, já pedindo perdão pela extensão de todas estas palavras, eu realmente tenho um problema interno muito grande na minha visão. Pra mim, não vale a pena ir atrás de qualquer mulher para eu relacionar, porque eu não gosto e nunca gostei de baladas, de festas, de Carnaval, enfim, de coisas que teoricamente é de identidade dos jovens, mas que nunca fez parte da minha vida. O meu limite é minha casa e trabalho e uma prática de esportes nas horas vagas, quando possível. Pendendo para o outro lado, a grande questão é, caso eu venha a gostar de uma mulher evangélica, que, por desempate, poderia ser tranquilamente uma boa possibilidade, mas pelo fato de eu estar fora da Igreja no momento, não sei como poderia ser pra mim, nesse sentido. Pelo menos, eu estou um pouco mais tranquilo ao achar este blog e ter a oportunidade de saber os pensamentos ligados ao cristianismo sobre relacionamentos entre casais.

Faustini, uma vez mais, mil desculpas pela mensagem mais do que extensa, que eu dividi em 3, mas eu realmente queria passar tudo isto pra vc. Parabéns pelo texto. Um abraço!

Anônimo disse...

Olá!!me encontro em uma situação muito complicada porque sou católica e o rapaz que eu amo é protestante, eu já pensei em mudar de religião mas sinto que isso não é o correto a se fazer, mudar só por ele, eu estou me conhecendo e as poucos vou vendo que é melhor pra mim, eu tenho fé que tudo vá se resolver, e procuro entender porque isso tem que existir visto que o amor é algo vindo de Deus? isso me magoa muito, porque sinto que ele também gosta de mim, mas tem medo do que os outros possam dizer.

Eduardo disse...

Olá, eu amo minha namorada. Ela é crente e eu católico. Mas ela quer que eu vá na igreja dela, mas ela não quer vir na minha. Eu respeito a religião dela, e ela não respeita a minha. É justo isso? O pior é que eu a amo muito, se não, já teria partido pra outra... :(

Karen Lis disse...

vcs reclamam de "barriga cheia"... sou luterana (evangélica) e me casei com um marido que virou budista. nem cristão é. Como li nos comentários, o amor e o respeito estão acima de religião, e "placa de igreja" não salva a alma de ninguém. Vcs que reclamam por estarem em relacionamentos católicos X evangélicos tinham que, literalmente, "dar graças a Deus", rs

WAL disse...

Olá.Eu nunca pensei que a religiao fosse tão importante em minha vida, sou católica e estudei da educação infantil ao ensino médio em colégio salesiano. Ja fui casada e estou separada ha anos, conhecí um rapaz faz 8 meses e começamos a namorar, já tinhamos planos para morar juntos e estávamos muito felizes,um dia ele chegou para mim e disse: eu aceitei jesus, eu perguntei o que? ele disse a partir de hoje derei evangelico, eu comecei a chorar e me bateu um desespero, pq percebi que naquele momento tudo havia de acabado, até o momento eu não sei o que fazer, ele disse que não quer me perder e que vai sempre respeitar a minha religião, mas eu sei que não é bem assim,no começo poderá até ser, eu nunca entrei em uma igreja evangelica e minha familia também nunca aceitaria, eu não sei o que fazer.

Paulinho disse...

Acho lamentável o que a "Igreja" seja la qual for faz com a vida das pessoas. Muitas pessoas deixam de viver um grande amor por causa dessas "seitas" que em vez de juntar as pessoas só as separam. Sou (era) católico e estou casado com uma evangélica. Depois que a conheci, passei a odiar qualquer religião. Nosso amor foi maior que tudo e todos. Hoje somos muito felizes, mas ela não abandonou a religião, porém respeito essa escolha dela.

Anônimo disse...

Oie, sou cristã e a 4 meses estou namorando mais ele nao é cristão ele diz q crê em Deus mais não pode se converter forçadamente por minha causa tem que ser de livre vontade. Eu entendo ele e ele está certo mais meus pais não estão aceitando o nosso namoro diz que eles irão passar vergonha pelo fato de quando as pessoas perguntarem de q igreja ele é e eles vão ter q responder de nehuma ! Nos amamos e é isso que importa , estou orando muito a Deus para q ele se converta e se for d vontade de Deus tudo vai da certo. (:

Caty / RJ disse...

Olá... curti muito esse blog. Está me ajudando muito, pois estou a mais ou menos um mês com uma pessoa que é católico, mas não praticante, é católico só de nome, e eu hj em dia sou católica praticante, tenho meus compromissos na igreja, ele entende, mas exige de mim mais tempo pra ele. Nos gostamos muito, mas estava meio confusa e esse blog ta me ajudando muito.
Parabéns pelo blog, nos ajuda bastante.
Que Deus continue te abençoando.

L.P. Faustini disse...

Prezados irmãos e leitores,

Atenham-se ao assunto do artigo. Qualquer comentário que fuja do assunto do artigo será apagado.

L.P. Faustini disse...

Edson,

Obrigado por compartilhar sua história. Tenho certeza que seu depoimento será de grande valia não só para mim, mas os mais de 1000 visitantes que passam aqui por mês.

A paz!

L.P. Faustini disse...

A todos os outros que comentaram,

Obrigado pelo carinho e pelos elogios. O blog está parado porque estou me dedicando a outros projetos literários e profissionais. Porém de tempos em tempos venho aqui respondê-los. O artigo já virou primeira página do Google ao pesquisar sobre namoro entre católicos e evangélicos e tenho que agradecer especialmente a vocês que ajudaram a tornar isso realidade.

A paz a todos que comentam aqui.

Ivo disse...

Cara vc merece muito mais creditos por esse otimo texto que voce escreveu. Texto que me ajudou, ajudou varias pessoas e ainda ajudara muitas pessoas que passaram, passam ou passarao por essa situaçao no minimo complicada. Obrigado!

Aline Brito disse...

A Paz do Senhor à todos,
Bom, primeiramente quero lhe parabenizar pelo seu blog q é uma maravilha certamente Deus te abençoou com este dom e com certeza vc já ajudou muitas pessoas com seus esclarecimentos. Gostei de todos os seus pontos de vistas em todos os temas relacionado, porém me identifiquei com este q é sobre o namoro cristão com católico, pois sou evangélica e meu namorado é católico e já namoramos à 4 anos e pretendemos casar ano q vem, porém minha família é muito preconceituosa com o meu namoro por causa da religião mas a família dele já me aceita muito bem, mas fico preocupada em saber se Deus está satisfeito com esse meu namoro? e quando vou a igreja parece q toda pregação é pra mim sabe, me sinto como se tivesse agindo errada, acho q é pq cresci ouvindo dizer q isso ñ é correto.Uma vez terminei com ele por causa disso, pq ñ aguentava mais minha família "buzinar no ouvido" e foi muito difícil pra nós dois, passamos 5 meses separados, só q agora voltamos à namorar e entre nós dois sempre houve o respeito e o amor e a fé em Deus.Uma coisa q queria ver sua opinião a respeito, é sobre os filhos, eis a questão em qual igreja meus filhos vão crescer (mas ele já disse que ñ tem problema se for na minha) pq ele aceita ser na minha mas a família dele ñ vai concordar com isso e ainda vão kerer batizar e está ai uma coisa q ñ concordo é o batismo de criança, então gostaria que explanasse sua opinião à este respeito, e também falasse sobre os católicos se benzer.
Enfim, ficarei no aguardo de sua resposta, desde muito obrigada pela atenção...

Anônimo disse...

Olá, primeiramente parabéns pelo seu blog. Infelizmente o meu namoro de 2 anos e 5 meses acabou terminado devido a diferença de religião, pois sou católico e ela evangélica, porém terminamos um amando o outro. Hoje já faz 10 dias que nos separamos. Mas sinto muito sua falta e quero ela mas que tudo em minha vida. Porém tenho medo de magoa-la com algo futuramente. O que eu posso faze, eu a amo muito e estou sofrendo demais com isso? Fica com Deus

Nessker disse...

Olá.... gostaria muito de falar com vc, discutir sobre o tema... tirar duvidas se puder me ajuda... me adiciona no msn, ou pelo menos mande um e-mail
marco_mtn@hotmail.com

Anônimo disse...

A paz do Senhor.
Primeiro quero agradecer a Deus por sua vida.Por ele ter lhe esclarecido um tema tão questionado entre essas duas religiões que não sabem a força que tem,e deveriam se unir em pro do crescimento do Reino de Deus.
Sou evangélica e meu namorado católico,estamos juntos a quase 5 anos.Queremos casar e minha família,e algumas pessoas de minha igreja dizem para mim que não devo me casar se ele não professar a mesma fé que eu.Por muito tempo isso perturbou minha mente,cheguei a terminar com ele.Durante o tempo que não estávamos juntos cheguei a pedir a Deus que arrancasse o sentimento que tínhamos um pelo outro,mas foi em vão.E o tempo que estivemos separados foi como combustível para aumentar nosso amor.
Enfim no inicio de seu relato no blog você diz ''quando era católico''.Queria saber o que te fez se converter ao protestantismo.

L.P. Faustini disse...

A paz, prezada anônima.

Sendo sincero com você, eu poderia me expressar melhor dizendo que quando eu soube o que era verdadeiramente ser católico, eu percebi que não era. Não me converti ao protestantismo também por não aceitar muitas coisas. Sou apenas cristão, sem denominação, que lê a bíblia todas as noites, acredita em Deus, ama o próximo e o respeita, assim como eu gostaria de ser amado e respeitado. Sou feliz assim, deste modo, temendo e respeitando a Deus e O colocando sempre sobre todas as coisas que faço no meu dia a dia.

Um abraço e que Deus ilumine e abra seu coração.

Anônimo disse...

Adorei o blog e os comentários, lí todos, porém vê-se claramente que o evangélico se salva e a religião dele é a correta, para eles o católico é errado e tá nas trevas, fiquei preocupada, com todo respeito parecem que julgam mais o próximo do que tentam se salvar! Que preconceito é esse de achar que a pessoa tem que se converter, converter pra onde e pra quem? Pra que Deus as pessoas que estão com Deus tem que se converter? Converter é aquele que não tem Deus no coração e se converte a ele... faz o mal e passa a fazer o bem, diferença de religião não se chama conversão, pois o Deus é o mesmo!! Se chama adaptação, paz de espírito pelo que mais lhe agrada em uma religião ou outra, porém se o caminho é os ensinamentos de Deus não tem nada que falar em conversão! Abram a mente, tentem interpretar a palavra de Deus sem preconceitos, pois Deus não teve nenhum, estão totalmente equivocados no modo de ver as diferenças entre as religiões, julgando o que a outra faz que não é de Deus, só ELE perdoa e salva e julga, os seres humanos são meros mortais que julgam sem ter este direito, tem preconceitos, vê outras religiões como desiguais... somos TODOS HUMANOS, IGUAIS, perante Deus! E ELE é um só, o fato de existirem as pessoas que seguiram a Deus e foram renomadas como “santos” e o fato de respeitarem elas não se iguala com a idolatria e a santidade que só Deus trindade SANTA teve e tem, comecem a aprender direito os ensinamentos de Deus e ver o que realmente as outras religiões fazem, e não saírem acreditando no que dizem por aí! E católico não está nas trevas não, muito pelo contrário, nas trevas está quem se fecha na sua religião achando que ela é perfeita e que por ela está salvo, até parece que o fato de estar sempre na igreja seja qual for, te salvará de alguma coisa se você faz alguém sofrer e te faz sofrer também, tem preconceitos, te prepara que a salvação pra você tá bem longe... as pessoas que levam ao pé da letra tudo que pastor, padre, outras pessoas falam e tem isso como o correto se te faz triste, infeliz, tá pecando, porque tá fazendo mal a si mesmo(isso é uma idolatria também, pois acreditar em tudo que te falam mesmo que te faça ser triste e achar que Deus quem tá falando), Deus não quer ninguém triste, ninguém separado, quer todos nós juntos... acabam deixando de lado o verdadeiro AMOR DE DEUS que foi igual por todos nós, porque quem de verdade idolatra somente a DEUS não tem preconceitos e não vê que religião alguma leva pras trevas... e ainda mais, quem idolatra a DEUS é feliz e faz todas pessoas que estão a sua volta felizes também! Fico triste em ver tantos julgamentos se ao menos conhecessem de verdade e a fundo as doutrinas das religiões, respeitariam, pois respeitar não é não seguir tal religião, não é não falar mal dela e sim aceitar, aprender a ouvir o outro lado mesmo que discorde, aprender a conviver com as diferenças, aprender a amar de verdade o próximo mesmo nas suas diferenças, ver se realmente o que a pessoa faz é do mau, se a distancia de Deus, pois separar de quem você ama pelo fato dela (dele) ter outra religião que tem Deus no coração e é uma pessoa boa, o faz julgador... não julgue nenhuma religião muito menos a pessoa pelo fato de tal pastor ter falado tal coisa, te tal padre ter dito tal coisa, a essência, os valores e a verdade estão dentro de nós e nada nem religião muda o ser humano se ele há de ser bom e com valores... PENSEM NISSO, quem sabe assim poderemos nós católicos termos o direito de amar um evangélico pelo ser humano que ele é e não pela doutrina que ele carrega e sermos amadas por eles independente da nossa, pois a religião que separa nós humanos que nos amamos, não é religião, não é de Deus, não é do bem! Continua...

Anônimo disse...

Continua... OBS. Sou católica tenho namorado evangélico e temos planos de nos casar e em nossa relação é sempre tudo muito conversado e acordado, não precisa ninguém se converter a nada, pois nosso Deus é o mesmo, sempre foi, vamos converter pra quem, não temos outro Deus! Apenas algumas pessoas religiosas que tem preconceito que são diferentes de nós e são infelizes! Se a religião é de Deus, é fazer o bem é ter valores e respeito com todos, estamos juntos, a salvação é individual! Olha se seu namorado(namorada) quiser seguir Deus com certeza não será a religião que os separará e sim a falta de Deus entre vocês, pois se um acha que o seu Deus é o que salva, realmente ele não segue a Deus e sim o ensinamento dos homens, pois religião, rito religioso, pastor, padre, não salva ninguém!!! Acredito que felicidade independe de qualquer tipo de seguimento de religião, felicidade é FÉ em DEUS é tê-lo dentro de nós, coloca-lo sempre à frente de tudo!! Se o seguimento de certa religião separa humanos, estamos precisando rever nossos ensinamentos... Deus nunca excluiu ninguém de seu convívio e os homens querem fazê-lo por julgarem que tal religião é pecadora, ora todos somos pecadores, e coloquem na mente de vocês, não idolatramos santo algum, estes são exemplos para nós vermos que podemos também ser “santos” e seguir Jesus, pois eles foram humanos e pecadores como nós e abriram mão de tudo para seguir a Deus! Coisa que nunca ví ninguém fazendo! Nem evangélico, nem católico, nem religião nenhuma! Por isso além de respeitá-los, tento fazer como fizeram... mas no mundo de hoje é difícil não se revoltar com certas coisas, e isso tudo que escrevi é uma revolta, principalmente pelas pessoas que levam a palavra de Deus e ao invés de fazerem o bem com ela, de unirem pessoas que se amam, ela tá é fazendo elas se separarem, isto pra mim não é religião de Deus! Elas sim precisam da conversão! Rezemos por elas!

Paz de cristo a todos!!!

Anônimo disse...

Olá, gostei muito do texo muito explicativo e me ajudou bastante. Estou passando por um momento bastante dificil em minha vida, sou católico e estou namorando com uma garota evangelica, gosto muito dela sou realmente apaixonado e ela também diz q gosta muito de mim, que senti tudo o que eu sinto mas, está esperando que eu me converta na religião dela caso contrario não será mais possivel continuarmos. Não quero terminar por isso e estou loucamente a procura de uma solução uma forma com que ela aceite minha religião e que ela também veja que a ordem demolay a qual faço parte não é nenhuma seita satanica como muitos da religião dela dizem. Agradeço bastante de coração mesmo e espero que possa me ajudar um pouco mais. Abraço e o que Deus abençoe a todos nós

Anônimo disse...

Olá passo por uma provação parecida sou católica meu namorado é evangélico percebo que isso é algo que esta acontecendo com outras pessoas com freqüência não vou mentir se não falar que as vezes sinto medo de sofrer por não te-lo em alguns lugares em que gostaria de sua presença .... acredito que há um proposito na minha vida e na dele essa semana ele me falou que vamos casar PRIMEIRO NO CARTÓRIO... somos religiosos e ele não quer que pequemos.

Renata disse...

Gostei muito do seu artigo. Deus o abençõe! Sou católica Apostólica Romana, divorciada e tenho um filho. Algo tem me surpreendido nesta fase da minha vida... Namorei um rapaz evangélico por 3 meses, depois desse tempo disse que os líderes da igreja dele pediu para que ele escolhesse entre Deus e o nosso namoro. Ainda não consegui entender como ele conseguiu fazer a escolha, já que Deus sempre foi o centro do nosso namoro. Ele terminou comigo. Atualmente conheci um outro rapaz, também de uma igreja cristã, temos muito em comum. Gostei dele e ele gostou de mim, mas confesso que estou com medo, o último relacionamento foi frustante pra mim pela maneira que acabou. Por outro lado, fico pensando será uma benção pra mim este rapaz evangélico e estou deixando passar a chance de ser feliz???

aline florzinha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Oie, bem eu sou catolica e namoro um evangelico,não temos muitas brigas por isso aceitamos isso e ele vai na minha igreja e eu vou na dele sem problema nenhum,até porque muitos são contra os catolicos porque acreditam em santos e muitos acham pecado,o importante de um namoro é o amor a religião não importa até porque o que realmente importa é a fé que você tem em Deus e se tem fé você tem tudo,namorar pessoas de religiões diferente não é ir contra as leis de Deus até porque se isso aconteceu é porque Deus colocou essas pessoas em seu caminho, eu aprendo muito com meu namorado e ele aprende muito comigo a familia dele me aceitou e aminha aceitou ele com as diferenças e isso não nos impede de ficar juntos de forma alguma, apenas tem pessoas que coloca dificuldade nas coisas,se namora um catolico ou evangelico foi pela vontade de Deus já namorei uma pessoa da mesma religião que a minha e não deu certo e hoje sou muito mais feliz com um evangelico e eu sendo catolica.O que importa é que servimos o mesmo Deus a religião não vai atrapalhar tanto assim quando se tem a benção de Deus.

Luz e Paz disse...

NAMORO ENTRE ESPÍRITA E EVANGÉLICO.

Boa tarde!!

Atualmente estou passando por um problema bem parecido... meu ex namorado (porque terminou ontem)e eu fizemos 1 ano juntos em nov 2012. Eu quando o conheci, namorava um outro rapaz, o qual estava quase noiva, com apto comprado e tal... só que eu não era feliz ele não tinha religião e eu espírita, não me tratava com carinho e atenção como gostaria, e como eu tratava. Então conheci ele (meu ex) eterminei com o anterior para viver um novo amor, que me encantou muito com seu jeito atencioso, amoroso e respeitoso de ser.... ele foi criado no meu evangélico (os pais e irmã) a vida inteira, sendo que em dado momento ele resolveu se afastar por discordar de algumas coisas.. e foi para o "mundo" (como eles costumam dizer) ainda assim era uma pessoa tranquila, bebia cerveja, gostava de sair para boate, mas dentro da normalidade. Nosso relacionamento era ótimo, não havia cobranças e um entendimento admirável!!! Eu (como espirita) nunca quis convencê-lo de nada, algumas vzes chegou a ir assistir palestras comigo na casa espirita, mas nada forçado! Em nenhum momento a minha religião atrapalhou o nosso relacionamento. Porém, de uns meses para cá ele começou a mudar, a parar de beber, a não querer mais sair pra "boate", não mais ter relações sexuais...e a sentir vontade de voltar para a igreja... toda esta mudança de uma hora para outra, na minha cabeça, de inicio foi muito complicada! Não aceitava de jeito nenhum... onde começaram os desentendimentos, com o passar dos meses... eu fui refletindo e tentando ver o lado bom disso tudo... e a aceitar a situação, pois eu o amo, e não tinha o direito de não aceitar. Tinha que respeitar a decisão dele e tentar fazer minha parte para dar certo... então foi o que fiz... e algumas vezes fui a igreja dele com ele.. escutavamos musica gospel, só que eu não quis/quero mudar de religião, por não sentir essa necessidade, pois no espiritismo aprendo que devemos amar e respeitar o outro, não diferenciar pessoas... e só me faz bem, então não vejo porque mudar, apenas para poder ficar com ele ou agradá-lo?! Então ele resolveu terminar por achar que não daria certo, tendo em vista esta diferença, e ainda eu estando disposta a passar por isso da melhor maneira, ele resolver desistir de nós, mesmo dizendo ainda me amar. Estou péssima!! E gostaria de alguma palavra para me acalmar neste momento. Grata e abraços.

Linda Cavalcante disse...

bem sou nova aki, mas vou deixar minha historia para outro dia... vou responder para essa florzinha de cima.
poxa luz que barra.
o meu caso é evangelica/catolico, mas imagino o que vc tá sentindo, pois tanto no seu como no meu caso se trata de RELIGIAO.
não sei bem o que te dizer,mas senti vontade de dizer isso:
o tempo vai resolver, no seu coment vc disse que ele terminou com vc dizendo que ainda te amava, pois bem se realmente ele te ama ele vai voltar.
Já faz 6 meses que o meu relacionamento acabou e pude comprovar que isso funciona(eu acho rsrs). Há duas semanas meu ex tem me ligado dizendo que quer conversar comigo(visto que não nos vimos durante esse periodo), ele diz que esta sentindo a minha falta.
Mas eu sei que ainda não é o momento de nos vermos, e tenho evitado(apesar de querer muito ve-lo rsrs).
nao é facil, pois a gente gosta e nao quer ficar longe, mas a gente se acostuma...
no mais, quando é da vontade de Deus e está nos planos dEle unir duas pessoas, nao importa o tempo que passe a vontade dele é feita.
Deus te ilumine, entrega tudo nas mãos dEle.
bjim

BLOG DO HERMES disse...

Ola, bom dia, axei mt interessante seu post,e, gostaria de pedir um conselho se possivel, sou catolico e atualmente estou namorando uma evangelica a mais ou menos 4 meses, nos amamos mt ja, temos mt em comum, isso ate me assusta as vezes,mas nosso namoro nao esta fluindo melhor somente pelo fato de eu ser católico,para ela eu sou um ser das trevas, ela e totalmente ''fanatica'' pelo amor de jesus, e, axo isso lindo nela. ela sempre diz, que sou o homem que ela sempre sonhou, em tdo msm preencho ela, menos no fato de eu nao ser crente. e isso ela se culpa mt, pq nao entende o pq de Deus ter nos botado para ficarmos juntos sem eu ser crente. eu me sinto horrivel, pq amo mt ela,e,ela me ama mt tb, mas me culpo mt pq nao consigo preencher esse msm amor,digo no msm nivel de fanatismo dela. pregar o amor de jesus. nesses 4 meses ja melhorei mt, comecei a pegar mais na biblia, nao falo mais tanto palavrao,me tornei um homem melhor. Quero mt casar com ela,ter filhos,essas coisas. nao queria que nosso namoro terminasse so por causa da religiao. como vc msm disse amor nao escolhe,apenas acontece. penso que se o amor for puro e vdd,sei que Deus ira abençoar,e,nao tera religiao alguma que ira impedir. Estou mt confuso, nao sei mais oq fazer,queria um conselho se possivel seu. Pois nao sei mais oq fazer. Agradeço qualquer ajuda.

mt obrigado desde já, que Deus abençoe todos que visitam seu blog, continue cmo esse belo trabalho.

abraços.

Selma disse...

amigo... ultimamente eu ando repudiando evangélicos (sou atéia), por ter tido muitos problemas com fanatismo e a consequente destruição da minha família. porém, admiro os evangélicos de bom senso como você. está de parabéns! mesmo sendo atéia, eu já fiz um estudo da bíblia e sei que o que é ensinado lá é justamente o que você explicou. é uma pena que hoje em dia não funcione dessa forma. tudo de bom pra você =)

L.P. Faustini disse...

BLOG DO HERMES,

Você disse:
"penso que se o amor for puro e vdd,sei que Deus ira abençoar,e,nao tera religiao alguma que ira impedir. Estou mt confuso"

Você não está confuso, meu amigo, pelo contrário: você está lúcido! Essa é a grande verdade. Confuso estão os outros. Caminhe na verdade, e ela te libertará.

A paz!

Anônimo disse...

Excelente texto!

Estou passando por uma situação "parecida" na minha vida. Namorei 5 anos com uma garota que sempre teve a necessidade de Deus e durante o nosso namoro ela foi da Igreja Católica para uma igreja evangélica que não tem denominação, eles dizem simplesmente que acreditam na Biblia e Jesus Cristo. Depois ela desistiu porque eles queriam que ela terminasse o namoro comigo por eu ser agnóstico. Depois disso ela passou a me levar na igreja Luterana, porém eu sou muito racional e não fui convertido totalmente ainda. Ela também não ajudou, pois passamos a ter preguiça de ir na Igreja, ela mesma não ia se eu não fosse junto, etc. Terminamos o namoro ano passado e ela voltou para aquela primeira Igreja rigida! Estou indo na Igreja Luterana agora frequentemente, falando com o pastor, indo a grupo etc. Quando falo com ela sei, ela fala que gosta de mim e queria que fosse eu pra se casar com ela, mas não pode pq para a igreja dela ela tem q ficar sozinha agora, que para voltarmos novamente eu tenho que dar um tempo para ela, ela nao quer conversar, nao quer me ver, e acha que isso vai resolver nosso relacionamento no tempo de Deus. Mas ela ta seguindo o que mandam ela fazer! Isso não pode ser o amor de Deus. Por mais que confiamos em Deus temos tem certas atitudes que só nós aqui na terra vamos ter que tomar, certo? Não sei mais o que fazer. Que palavras usar? desistir de vez?

Thalya disse...

Boaa Tarde L.P. Faustini eu namoro com uma pessoa descrente e eu sou evangelica eu disse pra ele entra para igreja para gente fikar juntos pro resto da vida, mais eu axo que ele não quer ser crente.. mais ele disse que vai mim acompanha em todas os cultos, mais meus pais não quer que eu namore com uma pessoa que não seja da igreja... Eu gosto muito dele L.P. Faustini, o que vc axa que eu deveria fazer??? eu peço que vc mim ajude.!!!

Anônimo disse...

Ola L.P FAUSTINi
preciso esclarecer uma duvida, sou evangelica e meu namorado católico, nos amamos, aceitamos e conversamos sobre nossas diferenças, sou muito estudiosa e nao concordo realmente com o modo que a igreja evangelica pensa sobre este assunto, ate porque derivamos dos católicos, mas preciso de umas dicas, nem minha familia nem a familia dele nos aceitam juntos a familia dele é toda catolica e a minha evangelica, sabe me dizer se a igreja evangelica faz casamento sendo o outro católico? (Nao pergunto pro meu pastor porque ele é ignorante e acha que tudo é pecado rs), e preciso saber por q meu namorado nao sabe como explicar como vcs catolicos se sentem ao participar de cultos e etc evangélicos?

atc.
Talita

Anônimo disse...

A paz a todos!

Olá, sou católica e tô passando por algo desse tipo...vcs ainda namoraram, eu mesmo gostando nem isso tive direito. rsrs
Embora eu dê risada, estou mal demais. Ontem o rapaz que gosto me deu um "quase" fora por eu n ser evangélica, falou em retaliações e tal. Na verdade ontem que falei a ele que era católica pois já temia o afastamento.
O duro é de uma hora para outra você ter que "barrar" um sentimento por questões religiosas. Nos falamos direto desde junho do ano passado, pelo facebook, por sms, por telefone sempre com carinho, com sentimento, aí quando vou perguntar a ele como iriamos ficar por já estava ficando angustiada com aquela situção, queria saber se dava pra virar algo sério...e tomei esse balde de agua fria. Eu praticamente nem consegui dormir relembrando a conversa.
Tô mal e pedindo entendimento a Deus. Porque é surreal duas pessoas se gostarem tanto e mesmo servindo ao mesmo Deus, embora com diferenças na doutrina , não poderem ficar juntos.
Estou em oração pedindo sabedoria e que Deus dimunua a dor que eu estou sentindo.

Filomena Vumbo disse...

Ola Talita, eu sou Catolica o meu esposo é envangelico, o nosso casamento foi um casamento misto, em que foi selebrado por um Padre na presença de um pastor, optamos por este tipo de casamento pq permite cada um continuar com as suas actividades, pois a igreja catolica nao considera o casamento feito fora da igreja. Mais agora estamos a cultuar na igreja evangelica pq tinha q seguir o meu esposo, ja o meu irmao tbem casou com evangelica, primeiro casaram na igreja dela depois foi feito uma cerimonia para reconhecerem na igreja catolica...
Shallom - Filomena
Africa/Angola

Quésia disse...

olá ... estou passando por uma situação complicada em meu relacionamento ... difente de todos os casos citados nos comentarios ... eu sou evangelica de uma igreja rigorosa e ele é adventista ... nossas crenças são quase as mesmas ... a um grande respeito entre nós mas para nos casarmos devemos ser da mesma igreja ... meu sonho é entrar na igreja e ver ele me esperando no altar... eu amo muito ele mas não sei o que fazer .. por favor me ajudem estou muito confusa

Ricardo Souza disse...

Ola pessoal a paz do Senhor.
Em primeiro lugar queria dizer que achei um máximo esta postagem pois isso pode ajudar como também pode haver muitas críticas.Bom eu também me encontro no mesmo barco,pois sou Cristão a 5 anos e pela primeira vez me aconteceu que me apaixonei por uma católica,antes de namorarmos conversamos bastante em relação a religião,então engatamos um namoro,pois querendo ou não a Biblia fala sobre o jugo desigual,mas a Bíblia esta te orientando para que la na frente você não reclame da situação,na minha opinião um namoro entre um cristão e uma católica pode sim dar certo,basta que no relacionamento haja respeito e comum acordo,e é claro que não haja desobediência da palavra de Deus.Apenas não siga nem cultue aquilo que Deus abomina.Mas estive pensando no futuro deste relacionamento,eu pensei como seria nosso casamento?em qual igreja?e quem fará o casamento padre ou pastor?Analisa comigo agora;Se fosse um padre que fizesse o casamento sem duvidas eu estaria professando a mesma fé dele,e estaria tirando o direito dos meus Líderes espirituais dos sacerdotes de Deus de fazerem meu tão sonhado casamento.Segundo,qual igreja?Se eu sendo cristão me caso na igreja católica onde haverá esculturas feitas por mãos humanas onde pessoas prestam culto e Deus reprova sem duvidas eu estaria indo contra os principios de Deus.Terceiro,como seria este relacionamento no futuro? Eu imagino eu e minha ''esposa'' católica dentro da mesma casa onde la ela ira colocar suas imagens,seus ''santos'' ou seja a minha casa que deveria ser chamada casa de oração,seria um altar a Baal.Acho que são decisões que somente você pode tomar e mais ninguem,como eu disse este relacionamento pode ser benção sim,contanto que haja respeito e comum acordo entre ambas as partes,por isso pense com carinho não se deixe levar pelas palavras bonitas de ninguém sómente de atenção a palavra de Deus seja fiel a ela.No meu caso,eu ainda namoro minha namorada católica,mas como eu disse antes,conversamos sobre tudo e chegamos em comum acordo.abraços e que Deus te ajude te de coragem e força e ilumine sua mente para que sua decisão glorifique a ele.amem!

Ricardo Souza disse...

Há se você precisar de aconselhamentos orações é só deixar seu pedido no meu msn
ric_souza1@hotmail.com

Eu sou o Presbitero Ricardo.

Ingrid Queiroz disse...

Olá , eu adorei seu modo como esclareceu as coisas na minha cabeça.
Bom , eu sou Budista tenho 15 anos e meu namorado ele é cristão protestante e tem 14 anos. Esses dias nós nos desentendemos por questão da nossa diferença e ele terminou comigo e logo em seguida se arrependeu e pediu perdão . Na minha religião ensina que o perdoar é para as pessoas que tem um vasto conhecimento eu o perdoei por amar ele mas no dia seguinte ele terminou comigo novamente por ser julgo desigual e o modo com ele me explicou isso tudo além de ter ofendido minha religião e me ofendido tornou sua explicação tão confusa . Nós estamos em fase de conversa ainda , eu quero muito voltar com ele apesar de tudo e ele diz que quer voltar também só que a religião dele não permiti e disse que se quisermos voltar depende de mim . Só que depende de mim , no caso seria eu trocar minha religião ,e eu gosto muito da minha religião acho que é uma filosofia e que ensina muito inclusiva a respeitar as outras doutrinas . Não sei como e com qual pretexto eu consiga mudar a visão dele , ele é muito cabeça dura e não sabe pensar por si só . Queria muito que me ajudasse .
Ótimo texto , um abraço

Anônimo disse...

Muito bom seu texto,
assim como todos nos comentarios estou com essa dificuldade,sou catolico e ela envangelica,quando a conheci ela estava tentando um relacionamento com uma pessoa da mesma igreja aonde foi incentivado pela igreja e familiares dela(aonde ela disse não gostar do rapaz, mais por acharem ''certo'' ela estava tentando), mas quando nos conhecemos foi amor a primeira vista começamos a namorar e estamos a 3 anos , além disso temos a distancia pois não moramos na mesma cidade nem estado,mais quando a conheci na cidade dela sempre acompanhei ela na igreja dela fui em retiros (obs: ela nunca me acompanhou na minha), por que nosso Deus e o mesmo e sendo assim não vejo barreiras, mas voltei para minha cidade e assim as pessoas da igreja dela e familiares dela me julgão uma pessoa das trevas que desvia ela de Deus, fico indignado com isso pois nunca pedi pra ela virar catolica enquanto ela ja pediu para eu me converter , nunca pedi pra ela sair da igreja dela ou fazer algo assim, resumindo eu amo ela e ela me ama terminamos faz uma semana mas trocamos sms , so que essa questão faz o relacionamento enfraquecer, oque eu não acredito porque o Deus é o mesmo, na minha opnião e muita pressão por parte da igreja dela e familiares tbm e cabeça fraca dela por ser preconceituosa nessa questão, mais independente amo ela e sei que me ama, mais espero que seja feita a vontade de Deus o mesmo de todos nos, e não da religião.

Anônimo disse...

Boa Tarde, sou Francielli sou Cristã, gostei do blog e o tema JUGO DESIGUAL é importante, essencial nas nossas vidas, eu estou na mesma situação de todos aqui do blog, namoro à 2 anos e 9 meses um católico, ele já foi na minha igreja, e tenho certeza que gostou. Então eu não sou preconceituosa em relação a isso. Porém, eu tento seguir a bíblia em 2 Coríntios capítulo 6: 14 diz: Não se ponham em jugo desigual com descrentes. Pois o que têm em comum a justiça e a maldade? Ou que comunhão pode ter a luz e as trevas? Que harmonia entre Cristo e Belial? Que há de comum entre o crente e o descrente? Que acordo há entre o templo de Deus e os ídolos? Pois somos santuário do vivo.

Então tudo que está na bíblia é verdade, concordam? Eu amo meu namorado, mas um de nós teremos que ceder, eu me encontrei com Deus, eu adoro Jesus, adoro o Pai, o Filho e o Espírito Santo, não existe outros santos! Que Deus abençoe todos Vocês!

marco-extreme disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marco Aurélio de Oliveira disse...

Bom dia Faustini, primeiramente eu gostei muito do seu texto, se compara muito com minha vida no momento. Eu estou com um pequeno problema no inicio do meu relacionamento, primeira namorada a gente fica meio bobo por assim dizer rsrs, mas voltando ao assunto, eu sou catolico e ela evangélica, eu sou um cara que nao liga muito por essas diferenças de religiao, ela ja é bastante focada na religiao dela, o problema começou quando ela começou a me pedir pra ir a igreja dela, na verdade, pedir nao, esta tentando me forçar a ir, ja falou com todos os meus amigos que tambem sao evangelicos, para tentarem me levar pra igreja, e a coisa que eu mais detesto é forçar outra pessoa a fazer uma coisa que ela nao queira. Creio que meu relacionamento, se a gente nao conversar, pode ir pro "buraco". O que eu faço meu amigo, me de uma luz pra tentar salvar o meu relacionamento sem complicações.

Anônimo disse...

Bom dia Faustini! Eu quero parabenizá-lo pelo excelente texto realmente corresponde a realidade de milhares de pessoas, inclusive a minha!
Sou católica e meu namorado é evangélico, não vou dizer que é tudo perfeito, mas isso não interfere negativamente em nossas vidas pois a verdadeira religião pra nós é DEUS e este ´sim deve-se ser adorado e louvado pois só ele salva vidas e almas e não religiões ou igrejas!

Eu gostaria de dizer para as pessoas que também passam por isso que só temos uma maneira de levar a diante esse tipo de relação: é através do RESPEITO, no meu caso eu vejo nele um homem bom que eu amo e que acredita em Deus e ele ve em mim alguém que ele ama, respeita e que tb acredita e louva a Deus. Então o negócio é o seguinte: Não é o padre e nem o pastor que vai viver com vc dentro de casa, mas sim a pessoa que seu coração escolheu para amar. Então, pensemos que os católicos não são as trevas, nem estão condenados ao inferno, muito menos são mundanos, os evangélicos também não são os únicos firmes na fé e convertidos e nem os únicos que acreditam realmente em Deus. Cabe deixar toda essa baboseira de lado e pensar se o coração da pessoa seja ela evangélica ou católica é bom de verdarde? se é capaz de amar e ser amado? Deus tem a todos que acreditam nele como seus filhos e ele nos julga pelo nosso coração! eu não tenho que ficar tentando ver no outro a minha imagem refletida ou mesmo a imagem que a sociedade e a minha igreja gostariam de ver, eu tenho que tentar ver no meu amor a imagem e semelhança de Deus que está refletida em cada um que acredita nele.

Anônimo disse...

Ola! Me indentifiquei muito nesta disputa entre catolicos e evangélicos..poderia me ajudar? Aguardo seu email
annaflavia.fernandestavares@hotmail.com
abraço!

L.a disse...

Olá estou passando por um momento horrível na minha vida por favor me ajudem : sou evangélica e meu namorado católico já namoramos a quase 3 anos e nós nos amamos muito agente sempre se respeitou nunca pensamos em terminar por causa de religião , mas de uns tempos pra cá ele esta mto infiltrado na igreja dele ja foi para retiros e agora quer ser catequista com isso ele chegou pra mim querendo terminar pq se confessou na igreja e o padre disse q termina comigo era o melhor a se fazer pq não iríamos dar certo quando casarmos e de como iriamos criar nossos filhos, pra ele o filho vai tem que ser batizado na igreja católica e seguir a religião e ele nao abre mão disso , entao ele chegou a terminar comigo agente sofreu muito mas no mesmo dia agente voltou , pq antes eu tinha pedido uma chance da agente dar certo de tentarmos de novo,como ele me ama muito ele resolveu dar essa chance a nóis 2 . Mas agora ele fica me perguntando qual q solução pra isso pq eu havia dito q acharia uma e ele fica me pressionando e a familia dele me perguntando como vai ser quando agente casar sinseramente estou desisperada nao sei oque fazer , pq eu amo muito ele e agente é muito feliz juntos agente se dar super bem so oque estraga e a religião , peço a deus que converta, eu sei que pra Deus nada e impossivel mas as x fico triste com medo de isso nao acontecer pq sei que nosso namoro vai acabar terminando novamente e dessa vez pra sempre estou muito triste todo dia choro pensando nisso por favor me ajudem abraços e fiquem com Deus !!

Hakylla disse...

Olá, se alguém ler, por favor comente de volta... Estou passando por um momento assim... Sou Evangélica e já namorei com evangélicos, nunca deu certo... Agora estou num namoro com um católico, nos amamos muito, mas estamos passando por dificuldade porque minha pastora disse que eu só poderia participar de um ministério na igreja se meu namorado se converter ou se terminarmos? Será que Deus está me provando pra ver se eu realmente o amo acima de todas as coisas? Minha família também tem preconceito com ele... Será que isso não seria acepção de pessoas? Será que Deus se agrada disso? Estou num momento mt difícil diante dessa situação... Me deem uma palavra!

Ana disse...

Olá. Preciso muito de ajuda. Acho que meu caso é diferente de todos os outros que li aqui. Meu namorado é ateu e eu sou evangélica, estamos juntos há quase um ano e esses dias me peguei pensando se o nosso casamento daria certo e, principalmente, se agradaria a Deus. Estou muito confusa e não sei o que fazer, nós não conversamos muito sobre nossas diferenças religiosas porque sempre acabamos tendo divergências. Ele me faz perguntas que ultrapassam o entendimento humano e só podem ser respondidas pela fé. Algumas eu até consigo lhe responder, mas outras, não, e, ultimamente, não venho vendo lógica em algumas coisas, mesmo que não haja muita lógica quando se trata de fé. O fato é que, algumas vezes, minha fé se abala por conta dessas situações, pois ele está me fazendo refletir sobre se algumas coisas seriam realmente possíveis. Não quero ter minha fé abalada nem me afastar de Deus por conta das desconfianças dele. Mas, apesar disso, adoro a Deus e acredito em sua existência. Eu o levo à igreja e ele me acompanha sem problemas, e diz também que quando casarmos, isso não vai mudar e ele continuará respeitando a minha religião.Quero muito conseguir levá-lo para o caminho do Senhor, se não agora, após nos casarmos. Confesso que sou um pouco intolerante com a sua descrença em Deus e tento muito fazê-lo acreditar nas mesmas coisas que eu, mas não sei se estou agindo certo ou se devo simplesmente aceitar o fato de ele ter escolhido ser ateu. Será que nosso casamento será frustrado? Ele me parece bem tolerante comigo agora e até disse que eu posso inserir na vida de nossos filhos a minha religiosidade. Porém, ele não teme as mesmas coisas que eu. Certas coisas que eu julgo serem erradas, para ele é algo natural, o que faz com que ele tenha algumas atitudes que eu discordo. Estou muito confusa e não sei o que fazer! Será que continuar com esse relacionamento desagradará a Deus? Nós nos amamos muito. Me ajude, por favor.

Anônimo disse...

Muito bom o seu texto!!! Precisa "ouvir" isso...
Amei o blog.

Deus abençoe. Paz e bem!

Anônimo disse...

Ola comecei namorar com minha atual esposa em 2001,passamos 4 anos namorando ela era catequista da igreja católica e tudo.E em 2005 me casei na igreja católica com 2 anos de casados tivemos um filho,ela toda vida foi muito apegada com a família sempre todos os Domingos iamos para casa da minha sogra e sempre foi apegada com irmãos e assim foi.Aí foi só o irmão dela comerçar a frequentar um igreja evangélica ai comerçou a minha caminhada.Ela comerçou indo visitar a meu amor não tem nada de errado pode ir para sua igreja que eu vou pra minha,ai eu disse mais mulher vc vai ver quantas diferenças vc vai ver mudar na nossa vida foi dito e feito (quando foi em 2010 ela chegou pra mim que não era mais católica e a agora era evangélica ai eu argumentei mas não teve jeito,passei por ruim muitas vezes,afamília comerçou a se meter e ela ficou do lado da familia,ela não tem tempo pra ficar comigo ela não sai comigo e se eu sair eu sou ruim porque eu tenho que viver a vida dela e a minha vida,ela sai pra os retiros e me deixa sem café,sem almoço e ainda tenho que andar na linha para não pecar,e muito dificil já me separei uma vez mas demos uma treguar em tô tentando aceitar esse novo ritmo de vida,ainda fui lá mas quando eu soube que o Pastor tava roubando o dinheiro da igreja nunca mais pisei lá mas ela disse que era um caso isolado e disse que não ia deixar a comunidade dela e eu voltei a pensar na minha vida se ela quer seguir a religião dela e não abre mão de nada ai eu vou deixar a minha religião pra fazer o gosto de um ser humano que nem eu,eu vou seguir meu coração e depois do PAPA Francisco ai eu to Cada vez mais gostando da minha religião católica e tou feliz e não sou IDÓLATRA que nem minha mulher fala eu creio num só DEUS no mesmo deus dos evangelicos que é um só).QUE DEUS ME DER PACIÊNCIA>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Cristina disse...

me identifico muito com a situação da Ana postagem do dia 6 de julho de 2013 18:32, também gostaria de uma opinião sobre namorar um Ateu.

Moema Cátia disse...

amei, mente aberta e coração mais ainda..

Anônimo disse...

Esse L fAUSTINI é um frustado vem deturpar a palavra de Deus
é muito fácil vc pegar versiculos isolados e falar o que quiser, criar o blog que o convém
não adianta se as duas pessoas não tenham a mesma mentalidade de cristo que eu acho muito dificil um católico e um evangélico ter a mesma mentalidade pois a grande diferança que a se vc for pergunta para geral dos católicos dificilmente eles lêm a palavra, porque aquele que lê vive o que lê e quanto a namorar tudo bem mais e depois? a Esposa vai ser católica e o marido evangélico? sendo que a mulher tem q acompanhar o homem.....então casados se isto esta acontecendo peçam a orientação do Senhor se é da permissão dele porque depois no casamento vai haver sofrimento em relação a isso ao menos q se os dois forem so na igreja por ir e nao tenham uma relação intimia com Deus ai nao vai afetar mesmo...
mais pensam bem casais de namorados casamento é algo sério se os dois não forem andar juntos vai dar problema...

Anônimo disse...

Ola!

eu estava namorando uma pessoa cristã! só que eu sou catolico e a questão da religiao sempre atrapalhou nosso relacionamento, mais nunca nos separou até um tempo atras quando ela achou que estava pecando!!!

e decidiu terminar! achei um pouco rediculo isso!

tinha falado pra ela que eu começaria a frequentar a igreja com ela!

mais ela não concordou! acho que por insegurança!

mais emfim! tenho que respeitala né!

o que acham?? por favor quero conselhos!!

Ariane Rodrigues disse...

Bem,primeiramente a minha situação é igual a de todos.
Há dois meses atras eu tive um namoro de curto prazo com um rapaz da banda do meu município,da qual nós dois fazemos parte.Quando fizemos uma viagem para São Paulo(por causa da banda) começamos a nos conhecer melhor,e ele me contou que era evangélico;tocava na igreja juntos com os seus irmãos e sua mãe era pastora,e eu falei um pouco da minha vida religiosa,que eu era acólita;fazia parte do coral juvenil e que logo iria montar um coral infantil...Passado alguns meses vimos que o que tínhamos era mais do que amizade,e sim um forte e profundo amor...Tentamos seguir esse namoro em diante,mesmo sabendo dos riscos dele não dar certo,porque a mãe dele achava errado e falava que era contra os princípios morais dela e de sua religião.Ele falou que a mãe dele só aceitaria o relacionamento se eu me convertesse...E disso que meus pais tinham medo,pois desde pequena eu sou católica e eles não queriam que eu mudasse de religião...
Penso,igual a ele, que se cada um ficasse na sua religião isso não daria problema...Mas e depois???As vezes eu penso que se eu me convertesse eu acabaria com todo esse nosso sofrimento,mas tenho medo de me arrepender depois...E outra,eu me converteria por ele e não por Deus...
Eu amo muito ele e ele me ama muito,mas estamos afastados por causa da mãe dele,que não quer que eu me aproxime do filho dela...Eu amo muito ele...muito...
Obrigado por quem leu,e peço ajuda espiritual de todos que puderem...
A paz a todos vocês!!!

Anônimo disse...

Ola Faustine,nossa eu estou tao aflita e tao confusa. Sou evangelica batizada de igreja doutrinada,e meu namorado catolico de ir na missa aos domingos,nao sei uqui eu fasso queria muito qui ele se convertessi mas nao sei uqui eu fasso,tenho medo as vezes ate de falar do evangelho com ele e ele nao gostar mas ele sabe qui sou evangelica,e me aceita como eu sou.tenho meus amigos e familia qui dizem q a luz nao combina com as trevas,e iisso é biblico. Eu gosto muito dele e ele de mim,quero muito tentar essi amor pq ja sofri muito por amor. Eu penssava qui levar alguem pros caminhos do senhor era facil,mas nao é. E qui estamos assumidos ta fazendo 10 dias hoje,nao sei uqui eu fasso. Nao quero abror mao. E ate hoje tambem.nunk orei pra ele se converter,ta me faltando cotagem de falar com ele. E tenho medo de pagar o preco. Abraço Thuanni

driblak disse...

ola, meu nome é adriano sou evangelico porem estava fora dos caminho, nesse decorrer eu conhceci uma moça ela se chama gabriela ela é catolica...e ela me admirava muito ou seja ela me amava e eu não sabia disso..antes da virada do ano ela se declarou pra mim..queria namorar comigo..eu senti um amor verdadeiro e sincero da parte dela por mim..e eu não resisti me apaixonei por ela tbm..porem nos ainda não ficamos juntos..ainda.pois ela viajou...e nos apenas nos falamos pelo facebook....nesse tempo ela ficou doente ficou internada...eu orei muito por ela..ela melhorou graças Deus....sabe amigo eu sei que ela me ama muito e eu tbm amo ela...independente da religiao.. ate entao ela aceita ir comigo na igreja...porem a mãe dela não concorda com nosso relacionamento por causa da religiao....mas eu gostei do que vc escreveu dizendo além do amor deve haver o respeito.. e isso eu tenho comigo eu amo ela e ela tbm me ama..e quero me casar com ela um dia...eu peço que vcs orem por nós pra que não haja empedimentos..em nosso relacionamentos..muito obrigado pela atençao..fiquem com Deus..amém.

Anônimo disse...

Olá pessoal, a paz de Cristo! :D
Tantos comentários cheios de desespero, calma gente não estou zombando de vcs, eu já estive nessa situação e sei o quanto é angustiante :( Sou evangelica e passei por este drama com um catolico, não continuamos juntos infelizmente, não vou contar detalhes pq vai ficar muito grande e enfadonho pq é exatamente o drama de vcs. Quero deixar algumas palavras para todos e para essa mocinha que não sei vai ler a Hakylla. 1º nunca em hipotese alguma, tente converte-lo, vc o conheceu assim, deve aceita-lo assim. Eu fiz isso e foi o principal motivo pq meu relacionamento não progrediu, apesar dele gostar de mim, ele preferiu a crença dele. Depois que terminamos o sentimento de culpa tomou conta de mim pq me dei conta do mal que tinha feito a ele, eu tentei de todas as formas converte-lo, porque eu gostava muito dele e a única forma da minha familia aceita-lo seria ele se convertendo. Hoje somos apenas amigos, quisemos voltar, mas não achei prudente pq como diz aquele ditado depois que se quebra um cristal, por mais que vc remende nao será o mesmo, ele me fez algumas coisas tbm, mas prefiro nao citar ;) Não foi fácil para mim, sofri dois longos anos, porque eu gostava muito dele, ainda gosto, mas graças a Deus como amigo, e digo isso pq ele me ensinou muito, o silencio dele me ensinou. Todas as vezes que eu tentava mostrar a "verdade" a ele, ele se calava, a vez que ele tentou se defender eu não deixei. Então voltando ao começo, depois que terminamos em meio ao meu sofrimento, estudei estudei muito o cristianismo catolico, fiquei neutra ´para tentar entender o ponto de vista deles (catolicos), fiquei imprenssionada com a tranquilidade do meu ex, como ele agia em relaçao a mim ao tentar converte-lo. Amados descobri que estava errada em muita coisa, reconheci e pedi perdao, para ficar livre da culpa q sentia (eu o magoei muito com palavras). Gente sou totalmente diferente, e vou dizer a vcs, a quem diga que dá certo essa relação, mas alguem tem q ceder, no meu caso, meus olhos se abrirao,compreendi q essa relacao só me veio para me abrir os olhos do quanto eu estava errada, como eu julgava e achava que minha crença era a única certa, que os catolicos eram errados. Nao sei se vou ajuda-los em alguma coisa, mas como o Faustine disse o respeito é fundamental! A paz
PS: já chorei muuuuuuuuuuuito lendo este artigo rs.
aaaaa acreditem se quiser mas estou gostando novamente de um catolico rs mais crente q muito jovem q se diz evangelico, mas claro dessa vez agirei de forma doferente ;)
bjim, e vou voltar daqui alguns dias :) quero conversar com vcs pq essa situação é horrivel, e eu sofri sozinha, literalmente sozinha, nao tinha com quem desabafar, só Deus e sei o quanto é ruim.
Abraços

Anônimo disse...

aaaaa pessoal tem um detalhe, quando eu falei nao tente converte-lo, é para aqueles q sao catolicos praticantes mesmo. Porque tens uns rapazes q sao catolicos apenas da boca pra fora, nao obedecem os mandamentos e vivem uma vida de mudanismo, vc ve isso quando ele nao quer um namoro santo em todos os sentidos, agora quando é um catolico praticante mesmo, vc vê a diferença, vc vê Cristo nele, pq em td ele coloca Cristo acima.
bjus :)

Anônimo disse...

Olá,gostei muito do que li, pois me dá cada vez mais esperança de seguir em frente com a minha namorada...acabei de pedí-la em namoro a alguns dias atrás, mas uma coisa que vem meio que atrapalhando nosso relacionamento é o fato de ela,toda vez que vai para a igreja(eu sou catolico e ela evangelica), ela fica triste pois diz que ouve da boca do homem(pastor) que "tem gente aqui na igreja que está pedindo por um relacionamento com uma pessoa que não vai te fazer feliz, o conselho de Deus pra essa pessoa é se unir com um da mesma linha, etc etc".

Poxa, sou catolico, faço minhas orações,nao estou indo muito a igreja(mas isso ja resolvi com minha mae e vamos voltar após a pascoa), não entendo o por que "Deus" fala assim dessa forma com ela(maneira mais irredutivel) e eu nas minhas oraçoes e conversas com o padre sou cada vez mais alimentado de esperança quando me dizem que se amar ela, como eu amo muito, nós vamos dar certo, independente das diferenças,...para mim Deus é um só e sei que ele quer o melhor para nós dois e se ele cruzou nossos caminhos e nos amamos é porque se seguirmos tudo certinho de acordo com as palavras dele, nós podemos construir uma familia feliz!

«Mais antigas ‹Antigas   1 – 200 de 204   Recentes› Mais recentes»

Postar um comentário