segunda-feira, novembro 17

A bíblia por trás das câmeras - Parte 3: O momento da compilação

Muitas lendas modernas surgiram envolvendo a criação da bíblia, das mais simples às mais absurdas. Todas, entretanto, encontraram fiéis seguidores.

Exemplos mais comuns: "A bíblia foi criada por Constantino, imperador de Roma" (dentro de sua tumba). "Uma pomba desceu sobre os textos e cochichou os 4 evangelhos que seriam selecionados". (só faltava ouvir, depois do latim, o pombês) "São 4 os pontos cardeais, portanto temos 4 evangelhos". (Hum, Marcos é Norte, Mateus é Sul...) "A bíblia já estava pronta". (tcham ram!) "Deus fez a bíblia". (sim, e fez o papel, a tinta, a pena...).


Bom, os exemplos são muitos e não conseguirei lembrar de todos.

A verdade é que não se sabe ao certo como foram escolhidos os textos da bíblia, existem algumas idéias convergentes. Mas posso afirmar que, de mágica, a escolha não teve nada.

Como estava explicado na Parte 2 deste assunto: a necessidade de uma autoridade escrita, confiável e amplamente compartilhada veio à tona, com o objetivo de garantir que a mensagem de Cristo e seus primeiros apóstolos seja passada à frente sem alterações, visto que já no início haviam divergências no ensino da palavra (ex: Pedro e Paulo já se batiam de frente nos primeiros anos da era cristã).

A compilação da bíblia foi feita de pouco em pouco. Os estudos dos textos duraram vários anos, pois muitos eram os evangelhos. Se buscava nesses estudos um caráter menos impositivo, mais tolerante e direcionado a um maior ecumenismo.

Os trabalhos ecdóticos se iniciaram com Pânfilo da Palestina (250-309), Luciano da Antióquia (235-312) e Hesíquio do Egito (aprox. 303) e só foram terminar com Jerônimo (designado por volta de 382 pelo papa Dâmaso - out366-dez384) reunindo e traduzindo os textos do hebraico e aramaico para o latim, a língua oficial.

*Lembrando, Constantino, imperador de Roma, morreu em 337 e o Concílio de Nicéia ocorreu em 325. Então, essa história de que a escolha dos livros ocorreu no Concílio de Nicéia e direcionada por Constantino é absolutamente lorota. (eu não sei quem inventou isso , meu Deus).

A primeira bíblia (39 livros do antigo testamento+14 apócrifos+27 do novo testamento) foi pronta somente em 382 d.C. e publicada em 400 d.C. e é conhecida como Vulgata. Muitos críticos ressaltam que Jerônimo adulterou os textos originais, no entanto, hoje, com os originais gregos e hebraicos às mãos e através de um estudo delicado de tradução, concluiu-se que, apesar de vários erros terem sido consertados, a essência do cristianismo em nada mudou.

continua na parte 4: Fatores decisivos para a escolha dos livros...


1 reflexões:

eu falei disse...

Quem crê em Cristo tem certeza de sua natureza divina bem como sua obra, sendo assim, pouco importa o que ocorra , ocorrerá dentro de um plano divino, sua mensagem é imutável e indestrutível, talvez estas incertezas sejam armadilhas para quem não merece receber a mensagem. Está escrito : muitos são os chamados, poucos os escolhidos.