quinta-feira, setembro 25

Éramos nós: cristãos

"...naquela época acreditavam em semideuses, capazes de intervir diretamente na vida social das pessoas. Tais entes possuíam um dom específico para cada problema no cotidiano delas, seja ele social ou pessoal. Porém, a crença mais popular era de que um deles, e o mais poderoso, tinha nascido de uma mulher virgem. Algumas comunidades ofereciam uma quantia imensurável de capital para os líderes religiosos como forma de sacrifício. Danças coreografadas por moças jovens e visualmente puras também faziam parte do ritual. Uma série de regras estritas, que variavam de acordo com cada seita, tinham que ser obedecidas para que uma pessoa fosse membro da comunidade. Uma vez dentro dela, adquiria-se, voluntaria ou involuntariamente, a capacidade de julgar e condenar as pessoas que se encontravam fora dela."
(por Luiz Paulo Faustini)

Infelizmente, esse é o triste retrato de nosso cristianismo hoje visto de um futuro bem distante. Tudo que Jesus disse, desdito. O cristianismo transformado em mitologia: mitologia cristã.

1 reflexões:

Mr. bassplayer Devaneio disse...

Aqui a questão é simples meu caro, para ser aceita no meio europeu (pagãos por natureza, que cultuavam vários deuses assim como várias comunidades da época) fez-se mister que a crença cristã tomasse moldes mitológicos.
Nota-se que a cultura cristã moderna tem muito da mitologia grega/romana, celta, até asiática (buda)...
Se formos pegar o sumo da religião cristã, constataremos que vivemos muito a parte dos reais preceitos pregados por cristo, coisa que logo depois de sua morte já estava deturpado por apóstolos que não compreenderam a totalidade de suas palavras.
Não digo aqui que eu compreendo mais que eles que vivenciaram as pregações de cristo, mas digo que muito do que foi pregado por cristo com certeza se perdeu, além der sido modificado já por eles (e muito mais ainda depois pelos consilhos católicos).
Confesso aqui que tenho a mais absoluta certeza de que, se o cristianismo não se adaptasse aos moldes europeus não seria a crença mais disseminada no mundo hoje. Só não posso afirmar que isso é bom, pois muito da real mensagem de Jesus não chegou até nós. E vivemos as crendices que as pessoas viviam antes de sua vinda a terra.

Muito boa sua colocação!!!