sexta-feira, setembro 26

O cristianismo mitológico

No início não era assim. Nem todos conheciam o nascimento milagroso de Jesus para acreditar Nele. Não existiam santos dos noivos, dos caminhoneiros, dos presos, dos sei lá o que. Também não existiam mocinhas virgens fazendo dancinhas coreografadas para Deus (hoje então, seria muito difícil achar estas moças). Aliás, existiam sim, nos rituais pagãos de adoração gregos e romanos! O diabo não era um bode tosco e as estátuas apenas serviam para imortalizar a imagem de uma pessoa importante.

O cristianismo era simples, não esse mexido de imagens fantasiosas e superstições: toca a estátua! leva a santa! benze o carro! creia em Jesus ou será condenado! Beba vinho e será condenado! Reze 3 ave-marias e está perdoado! Quanta tolice. A mim parece que o cristianismo hoje se preocupa muito mais com a forma do que com a essência.

Outro dia me perguntaram se eu acreditava na história de Adão e Eva. Eu respondi: "Você me pergunta se eu acredito em cobra falante, Deus perambulando por um jardim, um fruto que te dá inteligência, uma mulher nascida de uma costela e o homem do barro?" "É lógico que eu acredito, mas não ao pé da letra". Então esta pessoa me disse que eu tinha que acreditar do jeito que tá escrito na bíblia e aceitar a Deus para ser salvo. E eu me pergunto: no que isso vai me influenciar como pessoa?

Conheço gente que decora o antigo testamento para dizer que é mais cristão que o outro. Outros dizem que se não acreditar em Virgem Maria eu também não sou cristão. Acreditando ou não, isso muda o que? Isso é forma...e não essência.

Muito antes da bíblia ser compilada, as comunidades cristãs, espalhadas pelo mundo até então conhecido, não tinham conhecimento de todos os livros sagrados. Dos 4 evangelhos, só Mateus e Lucas falam do nascimento de Jesus pelo Espírito Santo. Isso confirma que lá no início muitos não sabiam que Maria era virgem quando deu a luz, mas eram cristãos. Mesmo as cartas de Paulo não possuem uma menção sequer ao "nascimento virginal" de Jesus. E para os curiosos, a palavra no hebraico encontrada no livro de Isaías para virgem, almàh, também significa jovem.

Tá na moda as pessoas fazerem "sacrifício para Deus". Os pastores mesmo obrigam seus fiéis a isso nas igrejas. E aí os eles aumentam a quantia do dízimo dada para a igreja."Vou fazer um sacrifício para Deus, não vou comprar a bicicleta para o meu filho para dar para a igreja". Bobagem. Sacrifício Jesus já fez por nós quando morreu na cruz. Tá na bíblia: "amar a Deus e ao próximo como ti mesmo excede a todos os holocaustos e sacrifícios, resume toda a lei e os profetas". Ou seja, o único sacrifício que você tem que fazer por Deus é amar o próximo.

Antigamente cristãos casavam-se com pagãos e cristãos não julgavam e condenavam os pagãos justos. Tá na bíblia:

Rom 2, 14
"Os pagãos, que não têm a lei, fazendo naturalmente as coisas que são da lei, embora não tenham a lei, a si mesmos servem de lei. Eles mostram que o objeto da lei está gravado nos seus corações, dando-lhes testemunho a sua consciência, bem como os seus raciocínios, com os quais se acusam ou se escusam mutuamente.Isso aparecerá claramente no dia em que, segundo o meu Evangelho, Deus julgar as ações secretas dos homens, por Jesus Cristo".

I Cor 7, 13
"Aos outros, digo eu, não o Senhor: se um irmão desposou uma mulher pagã (sem a fé) e esta consente em morar com ele, não a repudie. Se uma mulher desposou um marido pagão e este consente em coabitar com ela, não repudie o marido. Porque o marido que não tem a fé é santificado por sua mulher; assim como a mulher que não tem a fé é santificada pelo marido que recebeu a fé. Do contrário, os vossos filhos seriam impuros quando, na realidade, são santos".

Por favor, volte Jesus...e dê uma ESCOVADA nessa sujeira que já se impregnou nas igrejas e nas pessoas.

2 reflexões:

p faustini disse...

Eu também acho que está passando da hora de Cristo voltar, a doutrina dele é simples e clara , ama a DEUS sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo; é só isto, esta cantoria , palmas etc só serve para quem o faz se promover, e jesus condenou isto claramente.
Mas fazer o quê? cada um professa a religião que lhe parece mas apropriada, serve a DEUS em silencio como Cristo pregou ou se esguela funda uma igreja fica rico , se elege senador etc, o céu é o limite, só fica dificil alcança-lo

Mr. bassplayer Devaneio disse...

Concordo que a melhor forma de glorificar o nome de Deus é seguindo os preceitos de Jesus de amar ao próximo como se ama a si, e a Deus acima de tudo. Mas ainda acho que há muito o que acontecer para que fique marcada a volta de cristo.
Fica a questão no ar, serão os justos os que ajudam alguém na rua a encontrar algo que esteja procurando sem querer nada em troca, ou quem fica fazendo vigilha na igreja até de madrugada?
Prefiro me enquadrar na primeira hipótese, pois não estarei fazendo bem a ninguém se eu ficar até de madrugada orando com várias pessoas por algo que com AÇÃO pode ser feito!!

É, realmente, muito enfeite!