sexta-feira, julho 17

Os Cristãos Marcionitas do 2º século

Traduzido do website: http://www.vexen.co.uk/religion/marcionites.html


Bart Ehrman em "Lost Christianities" descreve detalhadamente a história de muitos grupos cristãos primitivos.

Marcionitas eram os seguidores de Marcião. Se estes cristãos fossem um grupo dominante na época, eles iriam canonizar uma lista de textos do Novo Testamento diferente daquela que os cristãos Paulinos canonizaram. Como os cristãos Paulinos se provaram mais agressivos, violentos e poderosos, os Marcionitas foram erradicados por eles.


A corrente cristã Paulina tem um problema com a Bíblia: o Antigo Testamento é completamente diferente do Novo Testamento. O Deus do Antigo Testamento é assassino, exigente, ciumento, eloquente, intrometido e debate com seu povo. O Deus do Novo Testamento, entretanto, aparece largamente apartado: é altamente espiritual, pacífico e racional. Centenas de livros cristãos debateram, e debatem até hoje, quais são as causas dessa diferença.

Os cristãos Marcionitas resolveram a diferença assim: eles acreditavam em 2 "Deus". O Deus do Antigo Testamento era, na verdade, um Deus diferente do Deus do Novo Testamento.

"Como podemos ver, Paulo reivindicou que uma pessoa é justificada com Deus pela fé em Cristo, e não por fazer as obras da Lei. Esta distinção se tornou fundamental para Marcião, e, desse modo, ele a fez absoluta. O evangelho representa as boas novas da liberação; isto envolve amor, piedade, graça, perdão, reconciliação, redenção e vida. A Lei, entretanto, representa as 'más novas' que faz o evangelho necessário; ela envolve mandamentos ásperos, culpa, julgamento, inimizade, punição e morte. [...]

Como pode o mesmo Deus ser responsável por ambos? Ou colocando em outros termos: Como pode o enfurecido e vingativo Deus dos judeus ser o amoroso e piedoso Deus de Jesus? Marcião sustentava que estes atributos não poderiam pertencer a um Deus apenas. [...]

O Deus do Velho Testamento [...] não era maligno, mas era rigorosamente justo. Ele tinha leis e infligia penalidades sobre aqueles que não as mantinham. Mas esta necessidade fez dele um Deus furioso, já que ninguém manteve suas Leis perfeitamente. Todo mundo tinha que pagar o preço pelas suas trangressões, e a penalidade para transgressão era a morte. [...]"

Esta situação, com o Deus do Antigo Testamento, envolvido com o mundo e deixando leis, mudaria quando o outro Deus, que até agora não esteve envolvido, teve compaixão com a humanidade e decidiu tentar nos salvar.

A salvação dada por Jesus

"O Deus de Jesus veio neste mundo com a missão de salvar o povo do vingativo Deus dos judeus. [...] Ele pagou a pena pelos pecados de outras pessoas, para salvá-las da justa ira do Deus do Antigo Testamento."

Cristãos primitivos tinham muitas opiniões sobre a natureza de Cristo. A de Marcião era de que Cristo foi uma aparição humana com a missão de enganar o Deus do Antigo Testamento. Apenas outro Deus poderia obedecer perfeitamente as leis do Antigo Testamento, e apenas uma pessoa que as seguiu perfeitamente e depois se sacrificou poderia acabar com as regras do velho Deus. Então o Deus de Jesus, o Deus do NT, apareceu na Terra fingindo ser um humano. As Boas Novas foram disseminadas dizendo que Jesus veio de fato e fez a si mesmo o sacrifício perfeito.

O poder do Deus do AT foi reduzido e agora começaria a Era do Deus do NT. Paulo escreveu que Jesus veio, de fato, somente "à semelhança da carne" (Romanos 8, 3), e "pela fé em Jesus vocês escaparam da ira do Deus do AT". Jesus disse que uma árvore é conhecido pelos seus frutos (Lucas 6, 43-44):

Uma árvore boa não dá frutos maus, uma árvore má não dá bom fruto. Porquanto cada árvore se conhece pelo seu fruto. Não se colhem figos dos espinheiros, nem se apanham uvas dos abrolhos.

Marcião percebeu que isto se aplica ao AT: O Deus do Antigo Testamento, que diz "criar o mal" (Amós 3, 6), não pode ter produzido o Novo Testamento. Do contrário, isso seria ignorar as palavras de Jesus e Paulo. No cristianismo paulino, as razões para a crucificação de Jesus são um pouco vagas e confusas. Se o Deus do Velho Testamento fosse o mesmo que o do Novo, e quisesse salvar mais pessoas, então ele simplesmente poderia escolher fazer isso. Não haveria necessidade para um "último sacrifício". Sendo o Deus supremo, poderia salvar quantos ele quisese, com ou sem a vinda de Jesus para a Terra e sua morte na cruz. Cristãos Marcionitas não tinham esse problema; existia uma razão clara porque Jesus morreu: para burlar o poder do Deus do AT.

Influências Marcionitas

O Marcionismo foi amplo e próspero, por centenas de anos alguns lugares conheciam apenas o cristianismo marcionita. O cristianismo paulino, embora agressivo e com seus recursos de poder, não poderia oprimi-lo. Ele não tinha os problemas de lógica de dizer que o irado Deus do Antigo Testamento tinha de alguma maneira "mudado", e ele não tinha os problemas de "o que fazer com as Leis e Regras do Antigo Testamento?". O Marcionismo representava Jesus como um Deus bom que veio para salvar a humanidade, e como tal, foi um movimento cristão poderoso e influente.

"Marcião compilou um cânon de Escrituras, que é uma coleção de livros que ele considerava ser de autoridade sagrada. Marcião, de fato, é amplamente conhecido por ser o primeiro cristão a fazer isso [...], muito antes de estar definido o Novo Testamento que nós conhecemos."

Ehrman nota que alguns eruditos pensavam que o exemplo de Marcião foi copiado pelos continuamente crescentes cristãos paulinos. Apesar de copiarem o marcionismo, os cristãos paulinos continuavam a atacá-lo, dedicando recursos e dinheiro para fazer isso.

O falecimento próximo do Marcionismo

Em algum ponto, os escritos dos cristãos primitivos que foram coletados por Marcião, junto com seus próprios escritos, foram todos destruídos. Uma igreja católica primitiva dominante, os cristãos paulinos, assinaram uma campanha de longo prazo contra estes cristãos primitivos. Tertuliano produziu cinco volumes atacando o Marcionismo e os distribuiu através do Império Romano. O enfoque racional, intelectual e honesto de Marcião ao Antigo Testamento e a "salvação em graça" de Jesus foi perdido, queimado e oprimido pelo mais violentos e agressivos cristãos paulinos. É irônico que, em nome dos "bons trabalhos", cristãos paulinos assassinaram e torturaram aqueles que acreditavam diferente deles mesmo...se isto é verdade, como Jesus diz e Marcião apontou, que boas árvores não produzem maus frutos, então nós acabamos ficando com a árvore podre de uma fruta ruim, ao invés do verdadeiro cristianismo exposto por Jesus?

Se o dever do cristão é "virar a outra face", "resistir ao mal", "amar seus inimigos" e "amar seu próximo como a ti mesmo", então é claro que os cristãos paulinos, que eliminaram o Marcionismo e vieram a escolher os livros da bíblia, não eram os verdadeiros cristãos.

9 reflexões:

Anônimo disse...

Faz sentido e isto me chama a atenção ha tempos, s Paulo tem coisas que não compreendo bem

Pr. e Ev. Luis Carlos M. Graneiro disse...

Concordo com tudo que li em sua materia,e ainda digo mais um deus que mora na escuridão,não pode ser o mesmo Deus da luz inacecivel;ou melhor um deus que coloca uma infermidade incuravel em seus proprios filhos,não pode ser o Deus verdadeiro;tambem,um deus que tem como sua espada,o leviatã,e a serpente,com certeza não é o pai de Cristo Jesus.....Leia o livro: Teologia, A Torre De Babel Dos Nossos Dias.... Pr. Luis Carlos M. Graneiro.

L.P. Faustini disse...

Muito obrigado Luis Carlos pela indicação de leitura. É sempre bom informar os leitores do blog sobre maiores aprofundamentos.
obs: É importante eu frisar que a minha opinião sobre esse assunto é neutra. Este tópico é apenas informativo, retirado de um outro site em inglês do qual eu fiz a tradução.

A paz!

Pastor Edson Gomes disse...

Debato este tema a muito tempo na net, em foruns e comunidades, acredito que a maior revelação dos evangelhos é o "Deus Pai" , termo este não encontrado no V.T
Existe um modo prático e rápido que se provar que o deus do v.t e o Deus são diferentes , e só vôce grifar na sua bíblia a palavra Pai , nos evangelhos , são mais ou menos 140 versiculo , ao le-los voce terá uma surpresa , Jesus não agrega o Pai ha nenhum episódio do velho testamento
Ex. Ele nunca disse o Pai deu as leis do Sinai , o Pai provocou o Diluvio , e assim vai .

Bom estudos a todos

Pastor Edson Gomes
edson.g.58@hotmail.com

Alfredo Bernacchi disse...

Olá. Estou usando algumas informações suas, detalhes sobre Marcion, no meu novo livro-vídeo:
A VERDADEIRA HISTÓRIA DE JESUS CRISTO

Tudo está bem explanado. Obrigado
Alfredo Bernacchi

L.P. Faustini disse...

Alfredo,

Fica à vontade. O texto original é de Barth Ehrman, eu simplesmente fiz a tradução.

Um abraço!

Anônimo disse...

acessem o blod jeovanaoeopai

josuesaxjosuesax josuesax disse...

Nunca se esqueçam ... Paulo era Saulo de Tarso ... CIDADÃO ROMANO ... Se vc fosse incorporar os preceitos religiosos nos seus RITOS PAGÃOS como sincretismo ...FARIA SOB A DOUTRINA DE UM ESTRANGEIRO OU DE UM DE SUA NACIONALIDADE ... É de se pensar que isso foi levado muito em conta por Constantino não ?

Wellington da Conceição Barbosa disse...

Amados, DEUS só é chamado de Pai no NT, simplesmente porque só nos tornamos filhos de DEUS em Cristo Jesus. O mesmo DEUS do AT prometeu no AT e cumpriu todos os seus planos no NT através de Jesus. Sua essência não mudou. O DEUS que faz o pequeno derrubar gigante, que faz estéril dar a luz, que guarda o seu povo quando andamos em obediência, o DEUS de milagres continua sendo o mesmo, mas agora revelando sua imensa graça, nos fazendo filhos de DEUS através de seu unigênito filho (João 1:12).
Estou orando por vcs. Que DEUS vos abençoe.
Presbítero Wellington